Ranking

UFSC é a 6ª Universidade mais empreendedora do Brasil

Segundo última pesquisa com dados de 2019 da Confederação Brasileira de Empresas Juniores – Brasil Júnior – a UFSC ocupa a sexta posição no ranking das universidades empreendedoras do Brasil.

Sobre o ranking das universidades empreendedoras

O ranking de universidades empreendedoras é construído a partir da coleta e análise de dados de três diferentes fontes, segundo a organização:

  1. Pesquisa de percepção dos discentes;
  2. Coleta por meio de embaixadores (alunos voluntários);
  3. Base de dados complementares a partir das informações já existentes;

Dessa forma, as dimensões estudadas para ranquear as instituições são:

dimensões

Fonte: Universidades empreendedoras

Essas dimensões foram entendidas a partir de uma consulta com mais de 4000 estudantes sobre quais características que mais contribuem para uma Instituição de Ensino Superior (IES) ser mais empreendedora.

UFSC está em entre as 10 universidades mais empreendedoras

De acordo com a pesquisa, a UFSC aparece entre as 10 melhores nas seguintes dimensões:

5º lugar em Capital Financeiro

A respeito dessa dimensão, tem-se que ao analisar os ecossistemas empreendedores, percebe-se que a inserção de capital financeiro é de extrema importância para o seu alavancamento, seja através de investimentos em projetos e iniciativas inovadoras ou com o objetivo de proporcionar as condições básicas para o desenvolvimento dessas iniciativas a partir da infraestrutura e do corpo administrativo (BRASIL JÚNIOR, 2019).

São indicadores: “Orçamentos” and “Fundos patrimoniais”.

7º lugar em Extensão

Segundo o estudo, abrange a percepção acerca das ações que a universidade realiza em conjunto com o ecossistema, promovendo um ambiente favorável ao desenvolvimento de pesquisas dentro da universidade, as quais são compartilhadas com o público externo. A extensão é essencial para o desenvolvimento do empreendedorismo na Universidade, uma vez que os próprios alunos a classificam como de grande relevância para a construção de uma experiência completa e empreendedora (BRASIL JÚNIOR, 2019).

8º lugar em Internacionalização

A dimensão de “Internacionalização” tem como objetivo avaliar a conexão entre a IES e o ecossistema internacional, seja oferecendo oportunidades de intercâmbio aos seus alunos, e assim mantendo contato com as demais Instituições de Ensino Superior ao redor do mundo, como também proporcionando soluções inovadoras através dos estudos e tecnologias desenvolvidos na IES (BRASIL JÚNIOR, 2019).

Intercâmbio”, “Parceiras com IES Internacionais” and “Pesquisas com Colaboração Internacional” são os indicadores dessa dimensão.

Dessa forma, com base na mensuração de todas as dimensões, a UFSC alcançou o sexto lugar no ranking das 123 universidades empreendedoras. Os dados foram calculados com base em aproximadamente 15.000 respostas de alunos das Universidades que participaram da Pesquisa de Percepção de 2019.

Desafios para a UFSC

Por outro lado, a Universidade Federal de Santa Catarina não figurou nas melhores posições nas dimensões de “Infraestrutura”, “Inovação” and “Cultura empreendedora”.

De acordo com o estudo, em relação à infraestrutura, um dado preocupante para o desenvolvimento do empreendedorismo nas universidades em geral é que, 57% apontam que a instituição não possui ou não se observa ambientes de inovação como incubadoras, coworking, fablabs, hub e etc. Além disso, 68% afirmaram não saber se os ambientes de inovação estão disponíveis para uso dos estudantes (BRASIL JÚNIOR, 2019).

Conheça aqui as iniciativas dos habitats de inovação de Santa Catarina , são aproximadamente 250 ambientes que apoiam a inovação e o empreendedorismo.

A dimensão de “Inovação” tem ligação direta tanto com o desenvolvimento de tecnologia como também de conhecimento nas Instituições. Como um complemento ao indicador de proximidade IES-Empresa, também se levou em consideração as informações provindas dos resultados das Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs), obtidas através de um questionário enviado aos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) (BRASIL JÚNIOR, 2019).

Para sua análise, os indicadores utilizados foram:

indicadores inovação

Por fim, a pesquisa esclarece que a dimensão de “Cultura empreendedora” busca, através do olhar dos alunos da própria Universidade, compreender as percepções e assim avaliar a IES. Uma Universidade Empreendedora é composta por diversas variáveis, dentre elas a “Postura Empreendedora”, que é também a proatividade para resolver problemas, assumindo riscos e aproveitando as oportunidades.

Outro fator essencial para a construção e desenvolvimento de uma cultura empreendedora é participação ativa de discentes e docentes, para que estes também desenvolvam essas competências, por meio de espaços nas grades curriculares para explorar habilidades, conhecimentos e atitudes fundamentais a essa cultura (BRASIL JÚNIOR, 2019).

Empreendedorismo nas Universidades na região Sul

Em análise aos dados num âmbito geral, na região Sul foram ranqueadas 31 Instituições e as melhores colocações foram:

Ranking região sul das universidades empreendedoras

Fonte: elaborado pela autora com base na pesquisa de Universidades empreendedoras

Destaca-se a região oeste de Santa Catarina, representada pela UNOCHAPECÓ, que conquistou excelentes posições em relação à Cultura empreendedora e Infraestrutura.

Outra Universidade que aparece duas vezes nas melhores colocações é Universidade Federal de Santa Maria que além do 4ª lugar no Ranking Geral é a 3ª melhor em Extensão.

Dessa maneira, as 10 Instituições mais empreendedoras da região Sul são:

ranking das universidades empreendedoras da região sul

Fonte: Universidades empreendedoras

Percepção da pesquisa

A pesquisa para a elaboração do ranking, como mencionado, foi realizada a partir da observação dos discentes e por informações disponibilizadas em bases de dados. Através dessa pesquisa, além das conclusões para as universidades, o ecossistema de inovação e empreendedorismo também pode identificar lacunas e atuar em prol do fortalecimento das dimensões defasadas, como o caso da infraestrutura em que a interação dos habitats de inovação com as universidades ainda é incerta.

O estudo completo pode ser acessado aqui.

A Confederação está realizando a coleta para o ranqueamento de 2021! Acesse aqui e confira! De acordo com a organização somente graduandos ou recém-formados podem responder.

The following two tabs change content below.

Juliana de Souza Corrêa

Mestranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento na Universidade Federal de Santa Catarina, formada em Relações Internacionais (UFSC) e com especialização em Inovação em Gestão Pública. Servidora da UFSC e integrante do Grupo VIA atuando junto ao Pacto pela Inovação de Santa Catarina e realizando pesquisas com foco em inovação e empreendedorismo.

Latest posts by Juliana de Souza Corrêa (see all)