Matthew Henry 87142

O que são cidades inteligentes?

Na Série Habitats de Inovação hoje apresentaremos o conceito de cidade inteligente.

Uma “cidade inteligente”, ou smart city, é um ecossistema urbano inovador caracterizado pelo uso generalizado de tecnologia na gestão de seus recursos e de sua infraestrutura. Thus, tecnologia e inovação são mescladas de forma coordenada e integrada à infraestrutura urbana tradicional.

Trata-se de um modelo urbano baseado na utilização de tecnologias da informação e comunicação, as TICs, para melhor realizar a visão de futuro da cidade nas seguintes dimensões: economia, pessoas, governança, mobilidade, meio ambiente e qualidade de vida. Entretanto, esta visão de futuro, em uma cidade inteligente, deve ser construída sobre atitudes decisivas, independentes and conscientes dos diferentes atores do espaço urbano, tais quais governo, sociedade civil e academia.

Na literatura acadêmica são diversas as definições encontradas para o termo cidade inteligente. Porém, os aspectos em comum trabalhados em grande parte delas são: questões ambientais (produção de energia, gestão de resíduos e etc.), comunicação entre os diferentes usuários (empresas, coletivos, instituições e indivíduos), utilização das TICs para melhorar o funcionamento operacional de rede, aspectos sociais (cuidados de saúde, educação e serviços culturais disponíveis) e eficiência urbana.

O protagonismo em cidades inteligentes

É possível afirmar que em determinadas dimensões da cidade inteligente a tecnologia possui papel mais decisivo, como em redes de energia, mobilidade e gestão dos recursos naturais; enquanto, por outro lado, há dimensões onde não possuem tanto protagonismo, como educação, cultura, inclusão social e política.

Destaca-se que a tecnologia é apenas um dentre vários recursos que podem resultar em maior sustentabilidade econômica, humana e ambiental nas cidades. De forma que, cidades melhor equipadas com sistemas de TICs não são, necessariamente, melhores cidades. A efetividade desses sistemas em relação ao objetivo do conceito de uma cidade inteligente dependerá dos resultados que apresentar numa perspectiva centrada nos cidadãos e em sua qualidade de vida.

Se interessa pelo assunto? Veja mais sobre cidades inteligentes nessa aba.

*Esse post foi baseado no trabalho: DEPINÉ, Á; AZEVEDO, I. S. C. ; GASPAR, J. V. ; VANZIN, T. Cidade inteligente: a transformação do espaço urbano pela tecnologia. In: DEPINÉ; Ágatha; TEIXEIRA, Clarissa. (Org.). Innovation Habitat: conceito e prática. 1ed. São Paulo: Perse, 2018, v. 1, p. 26-48.

The following two tabs change content below.

Ágatha Depiné

Advogada dissidente e apaixonada pelo conhecimento. Dedica-se a pesquisar o direito à cidade, a participação cidadã, o conhecimento político e sua relação com o desenvolvimento urbano inteligente. Cidadã engajada em movimentos sociais para transformação urbana. Doutoranda e Mestra em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela UFSC. agathadepine@gmail.com

Latest posts by Ágatha Depiné (see all)