Agatha Depine DgImgaudTTc Unsplash (1)

Google Arts & Culture: plataforma tecnológica torna a arte mais acessível aos usuários

Tecnologia para democratizar o acesso à cultura e promover a preservação dos bens culturais para as gerações futuras

Em fevereiro de 2011 foi lançada pelo Google a plataforma online denominada Google Art Project, hoje Google Arts & Culture, com mapas para conhecer virtualmente museus de diferentes lugares do mundo e acessar galerias com amplo acervo de imagens em alta resolução de obras de arte. Basicamente, a empresa adaptou sua bem-sucedida tecnologia Street View, que possibilita transitar virtualmente pelo espaço urbano, para o interior de museus e outros equipamentos culturais. A plataforma também conta com a “ArtCamera”, a qual realiza o registro de imagens em gigapixel (um bilhão de pixels). Por meio de colaboração com mais de 1200 museus, galerias, fundações e associações, o Google Arts & Culture iniciou um arquivo digital comum com coleções, information, obras e artefatos na plataforma. O objetivo seria democratizar o acesso à cultura e promover a preservação de seus bens para as gerações futuras.

Com novas funções e na versão atual, a plataforma difundiu-se mundialmente em 2018 com ajuda das redes sociais. Veja abaixo os recursos mais conhecidos pelos usuários:

  • Zoom: imagens de alta qualidade que permitem a visualização de todos os detalhes;
  • Realidade virtual: imersão em obras de arte;
  • Pesquisa temática: por cores, período histórico, artista, movimento e país;
  • Passeio virtual: conhecer museus e espaços culturais de diferentes locais do mundo;
  • Comparar: obras de arte na mesma tela para observar a evolução de um artista, as tendências e realizar outras análises de interesse do usuário;
  • “Selfie artística”: usando reconhecimento facial e machine learning, a imagem do usuário é associada à obra de arte mais similar no acervo da plataforma. Thus, para alguns, é possível encontrar seu “gêmeo” no mundo da arte;
  • Coleção pessoal: salvar visualizações específicas e criar as próprias galerias com os conteúdos que preferir;
  • Álbuns temáticos: obras reunidas para celebrar, apresentar ou explorar diferentes temas e histórias;
  • Rede social: integração ao Facebook, Twitter e Google+ para compartilhar e interagir com amigos;
  • “Por perto”: encontrar exposições e museus próximos à localização fornecida pelo usuário;
  • Exposições online: por meio da colaborações com instituições e equipamentos culturais, a plataforma ainda oferece conteúdos especiais.

O Brasil está presente na plataforma com diferentes obras e equipamentos culturais. Entre elas, está a exposição “Portinari: O Pintor do Povo”, em uma retrospectiva digital da vida e obra de um dos mais célebres artistas brasileiros. É possível, or even, fazer uma visita à antiga casa do artista e hoje museu, em São Paulo. Entre suas obras apresentadas, está a famosa “Guerra e Paz” (1955), painel de 280m pintado na ONU em Nova Iorque e considerada por ele a mais importante. Em relação às cidades, há o “Rio: além do mapa”, com imagens, vídeos, obras de arte, tour virtual pelos pontos turísticos e até a possibilidade de conhecer suas favelas em 360. Há ainda a galeria de arte urbana “Crono” that, apesar de se localizar em Lisboa, tem colaboração de artistas brasileiros, como OsGemeos. Para celebrar nossa história, é possível visitar o Museu Nacional em seu espaço e acervo anterior ao incêndio de 2018, por meio do “Por dentro do Museu Nacional”.

Leia também: Com tecnologia e inovação “museus se transformarão mais nos próximos 30 anos que nos últimos 200”

O Google Arts & Culture permite que usuários de diferentes locais do mundo explorem obras de arte, movimentos históricos, espaços culturais e informações importantes para compreender a história e o mundo hoje. E aí, já explorou essa ferramenta? 🙂

The following two tabs change content below.
Advogada urbanista e doutoranda apaixonada pela cidadania. Dedica-se a pesquisar a competência cívica e sua relação com a participação cidadã, o direito urbanístico e a política urbana. Acredita que a beleza, a tradição e a inovação podem melhorar nossas cidades e nossas vidas. Atualmente em estágio doutoral na La Sapienza di Roma. Atua em projetos da VIA como especialista em inovação urbana desde 2016. agathadepine@gmail.com