Inovatividade

Inovação e inovatividade. Qual a diferença?

Inovação e inovatividade

Para os autores Rosanna Garcia e Roger Calantone (2002) só é possível avançar o conhecimento sobre inovações entendendo qual é a diferença entre uma inovação radical, uma inovação realmente nova e uma inovação incremental. Para isto é necessário primeiramente diferenciar inovação e inovatividade.

Segundo a OECD (1991) inovação é um processo iterativo iniciado pela percepção de um novo mercado e/ou nova oportunidade de serviço para uma invenção baseada em tecnologia que leva a tarefas de desenvolvimento, produção e comercialização que buscam o sucesso comercial da invenção. Para Garcia e Calantone (2002) a inovação deve envolver tecnologia e mercado. Assim, uma inovação efetiva deve desenvolver uma tecnologia e ser disponibilizada no mercado para usuários finais. Uma invenção não se torna uma inovação até que seja processada por meio de tarefas de produção, comercializada e difundida no mercado (GARCIA; CALANTONE, 2002).

A inovatividade é o grau de “novidade” de uma inovação. Assim, uma inovação pode possuir uma alta ou baixa inovatividade. Quanto mais alta for a inovatividade maior será o grau de novidade da inovação. Porém os autores ressaltam que o conceito de novo é relativo na literatura. Uma inovação pode ser nova para o mercado, para um grupo de usuários ou para uma organização (GARCIA; CALANTONE, 2002). Assim, esta ainda é uma lacuna de conhecimento sobre inovações.

Inovação radical, realmente nova, incremental e imitativa

Segundo Garcia e Calantone (2002) a literatura apresenta diversas tipologias de inovação. Desta forma, os autores e propõem uma tipologia para identificar inovações tecnológicas com base na literatura existente. Os autores definem:

  • Inovação radical: inovações que incorporam uma nova tecnologia que resulta em uma nova infra-estrutura de mercado. Também resultam em descontinuidades tanto no nível macro (para mundo, ou todo um setor industrial) quanto no micro (para um grupo de usuários específicos ou uma organização).
  • Inovação realmente nova: um produto realmente novo resultará em uma descontinuidade de mercado ou em uma descontinuidade tecnológica, mas não incorporará ambos.
  • Inovação incremental: produtos que fornecem novos recursos, benefícios ou melhorias à tecnologia existente no mercado atual.
  • Inovação imitativa: a inovação ocorre apenas na primeira empresa a concluir a P&D industrial, que culmina no lançamento do primeiro produto nos mercados. Produtos imitativos são frequentemente novos para a empresa, mas não são novos no mercado.

Para os autores é importante como as inovações são rotuladas para que os pesquisadores possam aumentar sua compreensão do processo de desenvolvimento de diferentes tipos de inovações. Você pode conferir o artigo completo acessando este link.

 

Referências

GARCIA, R.; CALANTONE, R. A critical look at technological innovation typology and innovativeness terminology: a literature review. Journal of Product Innovation Management: An International Publication of the Product Development & Management Association, v. 19, n. 2, p. 110-132, 2002.

OECD. The nature of innovation and the evolution of the productive system. Technology and productivity-the challenge for economic policy, Paris, 1991.
The following two tabs change content below.

Rayse Kiane

Mestre e doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Sistemas de Informação pela mesma instituição . Realiza pesquisas interdisciplinares sobre: innovación en la educación, mídia e conhecimento, compartilhamento de conhecimento por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), open science e usabilidade de software.