CICLO VIA | GERAÇÃO VIA | HACK THE UFSC

METODOLOGIAS PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS REAIS

As metodologias do grupo VIA Estação Conhecimento com foco na resolução de problemas reais se associam principalmente a busca da mudança cultural, na perspectiva de diferentes atores do ecossistema, a fim de realizar intervenções reais, com valor compartilhado, para melhorar a qualidade de vida e bem-estar do cidadão. Em termos práticos, com problemas apresentados pela comunidade o grupo atua na busca, envolvendo diferentes pessoas, por soluções de melhoria.

Desenvolvimento de Territórios Inovadores

Essa iniciativa tem por objetivo estimular e apoiar a criação de soluções e projetos inovadores para a melhoria do entorno de habitats de inovação na perspectiva da comunidade local. A principal base para sua realização é a interação criativa entre os diferentes atores do ecossistema, representados por meio da quádrupla hélice de inovação: governo, academia, empresas e comunidade. A partir dessa interação, as necessidades e interesses da comunidade são levantados e se tornam base das intervenções que serão propostas para a área.

Em 2018 foram realizadas ações com cerca de 40 stakeholders do distrito em busca de um planejamento para o ambiente, discutindo seus desafios e buscando proposições de atuação colaborativa.

O município da Serra apresenta em suas tratativas dos últimos 20 anos uma visão que busca, de alguma forma, o desenvolvimento tecnológico e de inovação. Em 2020 diversos atores do ecossistema de inovação do Espírito Santo se mobilizaram para pensar ações para o ambiente da Serra denominado InovaSerra. Assim, foi realizada por meio de uma construção coletiva a proposição de planejamento de curto, médio e longo prazo e da governança do Polo.

Devido ao cenário local, os aspectos regionais e o estágio das ações já desenvolvidas pelos stakeholders ligados à economia criativa, a construção de um distrito criativo no bairro do Jaraguá poderá concretizar o território como um região de conexão entre os agentes públicos e instituições de fomento ao empreendedorismo criativo e inovador, permitindo uma ações conjuntas mais eficientes, com os empreendedores, os residentes de vários bairros da capital e os turistas, ampliando as possibilidades de acesso e consumo de bens e serviços baseados na inovação cultural e gerando alternativas de entretenimento e lazer para a população. Assim, a partir da disciplina de habitats de inovação em rede, foi desenvolvido um plano de ação para a construção do Distrito Criativo Jaraguá em Maceió.

O BC Criativo foi criado com o propósito de promover o município de Balneário Camboriú como uma cidade criativa. O BC Criativo, é uma rede colaborativa com a finalidade de articular e acompanhar a implantação de políticas públicas para o fortalecimento da economia criativa diversificando a matriz econômica de Balneário Camboriú. Visando o desenvolvimento dessa rede, um grupo de alunos da disciplina de habitats de inovação em rede realizaram a proposição de diversas ações com o objetivo de impulsionar e desenvolver o Distrito Criativo de Balneário Camboriú.

O município de São José – SC possui uma rica história cultural, com um Centro Histórico marcado pela arquitetura de origem açoriana e diversas iniciativas que visam fortalecer a cultura e a história local. Assim, na disciplina de habitats de inovação em rede, foi desenvolvida uma série de ações para criação de um distrito criativo no Centro Histórico de São José. A criação de um Distrito Criativo no Centro Histórico de São José visa valorizar a herança cultural e a tipicidade local, unir a cultura, lazer e gastronomia e valorizar os espaços públicos existentes.

O município de Florianópolis apresenta o bairro Estreito com uma das mais belas vistas para o mar. Recheado de história e com potencial de inovação, atores locais em conjunto com o 2Grow, ACIF, UFSC e movimento souestreito se mobilizaram para a transformação da região.

Desenvolvimento de Habitats de Inovação

O Centro de Inovação ACATE Sapiens Parque é um dos centros da Rede de Inovação de Florianópolis. Inaugurado em 2018 a atuação da metodologia buscou desenvolver proposições para o espaço considerando sua conexão com o Sapiens Parque e seu entorno.

O município de Santa Rosa está localizado na região Noroeste do estado do RS e é conhecido como o ‘Berço Nacional da Soja’. No ecossistema local há 2 incubadoras, sala do empreendedor, Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia (NIT) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha campus Santa Rosa (IFFar/SR) e, outros dois programas para o desenvolvimento do empreendedorismo e inovação. Visando fortalecer esse movimento da inovação em Santa Rosa – RS, foi realizada uma proposta para criação de um Centro de Inovação na cidade de forma colaborativa com a participação de diversos stakeholders durante a disciplina de habitats de inovação em rede. As ações relacionadas ao CI visam trabalhar a educação, governança, gestão pública e cultura para a inovação

Em Serra no Espírito Santo, está sendo implanto o Parque Científico Tecnológico do InovaSerra. A partir desse cenário, foi proposto na discplina de habitats de inovação em rede, um plano de ação para gestão e operação do Parque, e, possíveis projetos que podem ser executados pelo mesmo. Assim, foram propostas ações que envolveram governança e infraestrutura do parque, talento e capital.

Com o objetivo de implantar um Centro de Inovação em Maceió para conectar as iniciativas existentes, apoiar empreendedores e ser o epicentro do ecossistema de inovação local, foi criado um plano de ação para materialização e operação do Centro de Inovação Jaraguá, em Maceió. Foram propostas ações de governança, sensibilização, políticas públicas e orquestração do ecossistema local de inovação.

Em Santarém – Pará, foi iniciado um projeto para criação de um coworking na Associação Comercial e Empresarial de Santarém (ACES) envolvendo a participação da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Aderindo a esse projeto, alunos da UFOPA por meio da disciplina de habitats de inovação em rede, apoiados pelo Grupo VIA e diversos stakeholders locais, desenvolveram um plano de ação para lançar oficialmente o Espaço de Coworking ACES e definir elementos de gestão do espaço. O objetivo do projeto é progredir e, futuramente, transformar o ambiente em um centro de inovação.

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) aprovou uma minuta para criação de um Parque de Inovação, Ciência e Tecnologia (PICT) no campus da UFSM. Esta é uma ação com vistas ao desenvolvimento do empreendedorismo e da inovação na universidade e de todo o ecossistema de inovação da região. Entendendo esse projeto como uma grande oportunidade para todo o território, foram estabelecidas uma série de ações na disciplina de habitats de inovação em rede, para implementar a gestão e governança do Parque. Também foram propostas ações relacionadas a motor de negócios, formação de talentos e internacionalização.

O Parque Tecnológico Mato Grosso foi idealizado como um ambiente polivalente, composto de um parque tecnológico, de serviços e científico. O parque está localizado na região conhecida como Chapéu do Sol, no município de Várzea Grande, cidade vizinha ao município de Cuiabá. Atualmente, o Parque está em construção. Com o objetivo de consolidar o Parque Tecnológico Mato Grosso quando o mesmo entrar em operação, foram desenvolvidas uma série de ações para cada uma das seguintes relações: Parque-Universidade; Parque-Sociedade; Parque-Indústria e, Parque-Governo. O objetivo das ações é aproximar o Parque com as hélices do ecossistema. A ação contou com apoio de vários stakeholders locais e do Grupo VIA.

Geração VIA

O Geração VIA é um programa de extensão que, por meio do ensino e disseminação de conceitos estudados na academia, apoia a formação de crianças e jovens em três vertentes: cidadania, innovación y emprendedorismo. O projeto baseia-se na compreensão de que a formação cidadã das crianças fomentará uma cidadania ativa e responsável no futuro.

Uma equipe multidisciplinar de pesquisadores desenvolveu capacitações, jogos educativos e material didático para crianças, jovens e professores, apoiando-se em técnicas e metodologias inovadoras como: gamificação, aprendizagem por resolução de problemas, robótica e educação maker. Tais materiais e conteúdos possibilitam o desenvolvimento de competências que estimulam a cidadania ativa, a atitude empreendedora e o espírito inovador dos participantes.

Parceiros na realização da XII e da XIII Edição do Concurso de Desenho e Redação da Guarda Municipal de Florianópolis, nos temas Floripa Inteligente (2017) e Floripa Inovadora (2018), impactando mais de 10.000 crianças com os multiplicadores formados pela VIA nos conceitos: cidade inteligente e cidade inovadora.

Convidados da Federação dos Municípios Catarinenses (FECAM) para a condução de atividade voltada à educação cidadã no tema do evento estadual em 2018: cidades inteligentes. O público alvo foi uma turma de alunos de escola básica municipal e os recursos utilizados: games, material didático e kit de robótica.

Premiada na XII Edição do Concurso de Desenho e Redação da GMF, a Escola Municipal Antônio Paschoal Apóstolo recebeu apoio para a realização de uma intervenção urbana em seu espaço. Os desenhos das crianças participantes do concurso foram inspiração para a arte criada para a pintura do muro externo da estrutura, a qual foi executada com ajuda de voluntários e das crianças.

Convidados do SEBRAE Santa Catarina para, durante a Semana Global do Empreendedorismo 2018, conduzir um workshop para crianças com o objetivo de desenvolver soluções urbanas em seu bairro, passando pela sensibilização em aspectos como: empreendedorismo, inovação e cidadania.

Em 2019 convidados da Federação dos Municípios Catarinenses (FECAM) para a condução de atividade voltada à educação cidadã o grupo VIA realizou o MakerATTOn com alunos de escolas municipais. A atividade consistiu em uma dinâmica de sensibilização com crianças fundamentada na solução de problemas das cidades. Trabalhando a identificação de problemas e o desenvolvimento de protótipos rápidos para soluções com as peças de montar Atto Educacional.

Durante o Encontro Internacional de Inovação na Educação – Edução Fora da Caixa 2019, o grupo VIA conduziu o MakerATTOn com mais de 120 crianças da rede de ensino municipal. A atividade consistiu em uma dinâmica de sensibilização com crianças fundamentada na solução de problemas das cidades. Trabalhando a identificação de problemas e o desenvolvimento de protótipos rápidos para soluções com as peças de montar Atto Educacional.

Hack the UFSC: placemaking universitário

Com a tarefa de criar projetos para transformar o campus universitário e seu entorno num ambiente melhor e mais inclusivo, contribuindo para o bem-estar das pessoas, surge o projeto Hack the Campus. Esse trabalho se pauta num processo de criação colaborativa denominado placemaking, o qual instiga os participantes a reimaginarem e reinventarem os espaços considerando a conexão entre as pessoas, o valor compartilhado entre elas, as possibilidades de uso e a identidade do local. Assim, a participação da comunidade permanece no centro de todo o processo e define os modos de intervenção.

Direcionamento de atividade de extensão com alunos de graduação na disciplina Habitats de Inovação por meio da tarefa de proposição de projetos inovadores para transformar o Campus Trindade e aumentar o senso de pertencimento dos usuários a esse espaço.