Registro Imagético: 
Rawpixel - Fonte: Unsplash

O que tem de humana a Cidade Inteligente (Smart City)?

Sabemos que uma Cidade Inteligente está continuamente buscando se desenvolver economicamente e, igualmente, atender as necessidades de cada espaço social. Besides, apresenta uma estrutura complexa e conectada, a fim de gerar informações com foco numa comunicação objetiva e acessível.

Registro Imagético: Zoe Holling – Fonte: Unsplash

Mas afinal, o que tem de humana a Cidade Inteligente?

Seguramente, a resposta para esta questão vem de outra perguntar, logo: seria possível planejar um Cidade Inteligente que não seja humana? Certamente não! that's it, não seria possível. Uma vez que, uma das finalidades de toda e qualquer Cidade Inteligente é, sobretudo, sua capacidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Eduardo Moreira da Costa, do Departamento de Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em conferência dada na 69º da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), afirma que ainda vivemos em uma sociedade norteada pelo modelo industrial, isto é, as políticas e ações de desenvolvimento urbano estão estritamente vinculadas e são definidas em consonância aos interesses da indústria.

Para o professor e também pesquisador, faz-se necessário superarmos esse paradigma, logo que, a organização das cidades deve pensar de forma prioritária os “desejos, interesses e necessidades da população”. Um passo importante para essa mudança está na participação cidadã, that is, a população assumindo o papel de ator. Posto que, segundo Eduardo Moreira, diversas soluções para os problemas urbanos e sociais podem ser dadas pela própria comunidade.

Embora o conceito de Cidade Inteligente seja visto como recente na literatura, o mesmo vem sendo trabalhado nas agendas globais. Entretanto, mais do que definir o “como” deve ser uma cidade inteligente e, anteriormente, estratificar “o que” pode potencializar o desenvolvimento de uma cidade para que se torne mais inteligente, a partir da sua realidade local..

Quer saber mais sobre cidades inteligentes? Aproveita e confere a matéria Barcelona – o projeto Cidade Inteligente clicando aqui.

REFERÊNCIAS

FGV. O que é uma cidade inteligente? [2015]. Disponível em: <https://fgvprojetos.fgv.br/noticias/o-que-e-uma-cidade-inteligente>. Acesso em: 22 jul. 2018.

PATRICIA MARIUZZO. Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Cidades mais humanas, inteligentes e sustentáveis. 2017. Disponível em: <http://portal.sbpcnet.org.br/noticias/cidades-mais-humanas-inteligentes-e-sustentaveis/>. Acesso em: 22 jul. 2018.

The following two tabs change content below.

Vitor Martins

Graduando em Administração (FGV-Sociesc) e Psicologia (UFSC). Escreve sobre temas transversais relacionados à Deficiências e Trabalho, População de Rua, Gênero e Políticas Públicas. Atua como Pesquisador em Iniciação Científica (UFSC) com bolsa financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), cujo estudo encontra-se vinculado ao Programa de Pós Graduação em Engenharia do Conhecimento (PPGEGC/UFSC) e ao grupo Via Estação do Conhecimento. Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4817371773157513

Latest posts by Vitor Martins (see all)