Open 100

Movimento 100 Open Startups avalia 11 empresas em Florianópolis para etapa nacional

A VIA marcou presença na 2ª edição do 100 Open Startups, movimento realizado pela Rede Catarinense de Inovação (Recepeti) em parceria com a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE). O evento reuniu especialistas, investidores e novos empreendedores.

O movimento 100 Open Startups, que produz ranking anual no país com as 150 startups mais atraentes para o mercado passou por Florianópolis nessa semana (7 e 8.11) com avaliações positivas sobre o ganho de maturidade do ecossistema de inovação catarinense e das próprias startups, que validam seus produtos, reinventam-se e replicam cada vez menos soluções já existentes.

Na segunda edição da etapa Capital da Inovação Florianópolis, 11 startups apresentaram negócios em seis minutos e responderam a uma sabatina feita por jurados especializados e investidores. Os pitches foram realizados para convencer uma banca composta por grandes nomes como Osvalmir Tschoeke (FETEP/ITFETEP), Mateus Xavier (Darwin Starter), Moacir Marafon (Softplan), Fernanda Bornhausen (LIDE), Bruno Rondani (MP), André Wetter (INSEED Investimentos), Guilherme Tossulino (Softplan), Iomani Engelmann (ACATE), Gustavo Junqueira (INSEED Investimentos) e Rui Luiz Gonçalves (RECEPETI) da viabilidade de seus negócios para assim terem a chance de estar entre as 100 startups mais atraentes do ano.

As startups Aprepara, Tawitech, UniBov, Beenergy, Cubus, Mister Van, B.tools, Sensorweb, Eficid IoT Solutions, Aquarela e Mind the Graph mostraram seus pitches. Após a avaliação, os selecionados concorrem a vaga para apresentação na etapa nacional, em fevereiro, em São Paulo (SP).

Como preparação, a Recepeti ofereceu uma tarde de mentorias para o pitch, na última segunda-feira. A orientação teve como base temáticas-chave para a apresentação de novos negócios a investidores, como times, soluções, modelos de negócio e escalabilidade. Consultores da Clear Inovação e da Narrative, foram parceiros da iniciativa.

Empresas se reinventam e despertam interesse

O presidente da Recepeti, Rui Luiz Gonçalves, enfatizou a qualidade das apresentações e dos projetos nesta segunda edição do evento em Florianópolis. “Acreditamos que teremos condições de apresentar melhores startups para a banca nacional. Empresas que já haviam participado voltaram muito melhores, o que nos faz pensar tiveram um ano de muito aprendizado”.

Bruno Rondani, idealizador do 100 Open Startups, afirmou que a impressão é de que o ecossistema catarinense está cada vez mais maduro, com startups que não desistem e evoluem, mostrando-se cada vez mais atraentes ao mercado. “Identificamos facilmente o sucesso de algumas startups, inclusive as que já participaram do programa e firmaram contratos piloto com grandes empresas de nossa rede. Durantes as apresentações dessa edição, observamos três ou quatro negócios que atendem a demandas de empresas conectadas com o movimento”.

Sobre o movimento

O 100 Open Startups conecta os novos negócios a uma rede de grandes empresas, fundos de investimento, olheiros e programas de empreendedorismo. A meta é identificar em 13 capitais da inovação brasileiras 100 startups inovadoras e boas para investimento, na opinião de quem atua no mercado.

foto100open16

Foto: Participantes e realizadores na etapa Florianópolis do 100 Open Startups.
Crédito: José Somensi/Recepeti
Confira o vídeo do evento:

The following two tabs change content below.
Equipe de pesquisadores com foco na transformação do conhecimento de forma tangível e utilitária para a sociedade, governo e empreendedores, por medio de acciones de educación, investigación y educación. Atuamos de forma colaborativa e em rede, conectando pessoas e organizações ao nosso propósito.