Clay Banks 170882(1)(1)

Experiência do Japão: o uso do solo e seu movimento na cidade

Em viagem pelo Japão, o #teamVIA teve a oportunidade de participar de uma palestra ministrada pelo Prof. Dr. Akinori Morimoto, do departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Waseda. O acadêmico também possui em sua carreira passagem como Diretor do Instituto de Planejamento da Cidade, como Diretor do Centro de Pesquisa em Políticas de Transporte e, também, como membro representante da Associação Internacional das Ciências de Tráfego e Segurança, trabalhando sempre sobre a relação inseparável entre as atividades de cidade, seu uso do solo e seu movimento. Baseando-se nos conceitos de Newman e Kenworth, os quais desenvolveram diversas pesquisas na área de mobilidade urbana e sustentabilidade, Morimoto apresentou o resultado do formato das cidades baseado em seus movimentos, como:

  • Walking city“: uma cidade em tudo se faz caminhando, costuma ter alta densidade, uso do solo misturado e mais orgânica.
  • Transit city“: no qual a núcleos urbanos distantes são conectados por meio de transporte público, possui vários núcleos (centros) com alta densidade, um uso misto do solo e baseada em grade, facilitando o caminhar pelos centros.
  • Automobile dependent city“: com densidade baixa, uso do solo separadas (residencial, condomínios, comercial, industrial, tecnológicos e etc.) formato arterial com ruas sem saídas e descentralizado.

Uma das abordagens questionadas por Morimoto é: há possibilidade de continuar a desfrutar da vida urbana a partir de uma cidade dependente do automóvel? As reflexões se referem principalmente às consequências de uma cidade construída para automóveis, e não para pessoas.

O espaço de ruas suficiente induz o uso do carro

A resposta está na integração do Planejamento Urbano com o Planejamento Do Transporte Urbano, por meio de algumas estratégias:

Para o Planejamento Urbano

  • Uso do solo misto visando um desenvolvimento abrangente;
  • O desenvolvimento orientado para o transporte;
  • Zoneamento de incentivo a urbanização;
  • Aplicar a zona de controle de urbanização;
  • Projetos de áreas completas;
  • Restringir o desenvolvimento fora do Planejamento.

Para o Transporte Urbano

  • Melhoria das infraestruturas de trânsito (instalações);
  • Estacionamento com valores mais altos;
  • Desincentivos ao uso do carro (traffic calming);
  • Preços apropriados para o uso do carro.

“O conceito por trás de uma cidade sustentável é a integração entre o uso do solo e transporte urbano”

As principais estratégias são com vistas a coordenação entre o uso do solo e o planejamento do transporte considerando os recursos disponíveis e o tempo. O desenvolvimento sustentável de uma cidade deve considerar primeiro o sistema de transporte público e o desenvolvimento ao longo do eixo de trânsito, aplicando novas tecnologias e se utilizando de recursos, tangíveis e intangíveis, regionais.

Quer se aprofundar nos temas? Confira essas publicações:

SARKER, M. J.; MORIMOTO, A.; LOIKE, H.; ONO, A. Impact of transportation infrastructure development on modal choice. Journal of Urban Planning and Development, v. 128, n. 2, p. 59-76, 2002.

MCMANUS, P. H. I. L. Sustainability, Planning and Urban Form: The approaches of Troy, Newman & Kenworthy, Trainer and Rees. Australian Planner, v. 35, n. 3, p. 162-168, 1998.

The following two tabs change content below.
Equipe de pesquisadores com foco na transformação do conhecimento de forma tangível e utilitária para a sociedade, governo e empreendedores, through education, research and extension. Atuamos de forma colaborativa e em rede, conectando pessoas e organizações ao nosso propósito.