Capa

Ações do Programa INOVA TRT-SC são apresentadas em evento

Simpósio Inova foi a última ação do ano prevista no Programa INOVA TRT-SC

Foi realizado no dia 29 de novembro de 2019 a última ação do ano prevista no Programa INOVA TRT-SC. O Simpósio Inova, que ocorreu no auditório da sede administrativa do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região, destacou as ações realizadas durante o ano de 2019 em prol da inovação na instituição e de suas conexões com o ecossistema de inovação.

Durante a abertura do evento, a Presidente do TRT-SC, Desembargadora Mari Eleda Migliorini, enfatizou que todos os participantes do INOVA TRT SC, sem exceção, do Eureka, do DESPERTA e do HACKATHON, estão de parabéns.

“Mantenham-se atentos. Ajudem a transformar o mundo – e o Poder Judiciário, claro – com suas ideias e sua competência. Não há um fim nesse caminho para a excelência. É uma escada sem último degrau na subida”, declarou.

Gustavo Bestetti Ibarra, Diretor da SETIC do TRT-SC, apresentou o escopo do programa destacando as principais ações realizadas, como o conjunto de capacitações internas (Desperta TRT12), a estruturação Laboratório de Inovação (LABINOVA12) e o Hackathon.

Enfatizando o pioneirismo na realização de um evento inovação aberta no Judiciário, destacou os resultados obtidos com o Hackathon, ressaltando que todas as 12 soluções resultantes do evento foram cedidas para o Conselho Superior da Justiça do Trabalho para que pudessem ser aprimoradas e estendidas para todos Tribunais. O Secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do CSJT, Cláudio Fontes Feijó, destacou que 6 soluções já possuem projetos registrados no CSJT e parcerias estabelecidas para seu desenvolvimento.

“É o Hackathon INOVA TRT-SC deixando seu legado para todo o país”, comentou.

Pitchs das soluções que estão sendo desenvolvidas no LABINOVA12

Na sequência foram apresentados os Pitchs de duas soluções que em breve serão desenvolvidas: Consulta Cidadão e Triar.

Luciana Neves Bohnert, servidora do CEJUSC de Itajaí/SC apresentou o pitch do projeto Consulta Cidadão, da equipe Laborem Courts, a qual fez parte durante o Hackathon. Na sua apresentação destacou o grande diferencial do projeto, que é de tornar as informações mais claras e acessíveis a todos os cidadãos.

Carlos Eduardo Mazzi, diretor do Serviço de Desenvolvimento de Sistemas do TRT-SC e participante da equipe TPU do Hackathon, apresentou o projeto Triar, destacando que o objetivo da solução é classificar automaticamente os processos de acordo com as tabelas processuais unificadas do CNJ. Ressaltou que com base nas heurísticas de classificação dos processos também é possível definir um “fator de complexidade” do processo, auxiliando os gestores dos gabinetes na tarefa de distribuição interna de processos.

Em seguida, foram apresentadas três soluções do Hackathon que foram ancoradas no LABINOVA12 e atualmente estão em estágio avançado de desenvolvimento, iniciando validações em projetos pilotos. São elas:

Projeto Gemini

O Projeto Gemini, 3º colocado no Hackathon, foi apresentado pelo Juiz Auxiliar da Presidência do TRT5 e Coordenador Nacional do Projeto, o magistrado Firmo Ferreira Leal Neto. Desenvolvido pela Equipe Liga da Justiça, com participação de servidores dos TRTs 5, 7, 15 e 20, o Gemini pretende se tornar uma solução de apoio aos Gabinetes de Desembargadores. Utilizando Inteligência artificial, o Gemini classifica e agrupa processos por temáticas identificadas e, com base nesta classificação, apresenta votos já elaborados que guardam similaridade com o processo analisado, possibilitando maior celeridade na elaboração dos votos nos Gabinetes.

Atendente Virtual LIA

A Atendente Virtual LIA foi apresentada pelo servidor Amandio Delpizzo Neto, do TRT-SC. O projeto campeão do Hackathon INOVA TRT-SC, desenvolvido pela equipe técnica do TRT-SC, tem como propósito estabelecer uma comunicação com linguagem acessível aos cidadãos, eliminando termos técnicos e jurídicos.

Inicialmente prevista para dialogar sobre questões processuais, pelo fato de utilizar tecnologias de Inteligência Artificial, a LIA tem potencial de aprender outros temas e se transformar em uma assistente virtual multitemática e multicanais, podendo ser integrada ao Whastapp, Telegram e Facebook.

“Desenvolver um chatbot de comunicação que possibilite aos cidadãos “conversarem” com uma assistente virtual da JT possibilitaria uma maior aproximação e reconhecimento do trabalho da JT pela sociedade, bem como otimizar o trabalhos nas varas, reduzindo o atendimento telefônico e no balcão”, concluiu o servidor.

JT Fone

Apresentado pelo juiz titular e pelo diretor de secretaria da VT de Palhoça, respectivamente, José Carlos Külzer e Fernando Marcon, é uma ferramenta que pretende notificar as partes e advogados por SMS sempre que houver alguma movimentação relevante no processo. A ideia é facilitar o acesso do jurisdicionado a informações sobre sua ação, como data da audiência, de uma perícia ou mesmo quando houver a liberação dos valores. A opção pelo SMS foi para atender às pessoas que não tem acesso à internet, ou seja, um quarto da população brasileira.

Premiação Eureka 2019

Na sequência, o programa Eureka apresentou em primeira mão os finalistas da edição 2019. Nesta edição, 32 propostas foram inscritas, superando anos anteriores, sendo nove boas práticas e 23 ideias. Segundo Vanessa Gesser de Miranda, Diretora da Secretaria de Gestão de Pessoas do Tribunal, nesse ano, a participação foi a mais expressiva do Eureka desde a sua criação. A diretora comenta ainda sobre a chance de levar adiante a implantação das propostas apresentadas e considera que o Eureka ganhou mais força com o INOVA TRT-SC passando a fazer parte de um sistema de inovação.

Categoria ideias

1º colocado: “Seeker: o buscador do PJe” de Guilherme Andrade Barbosa, da 5ª VT de Florianópolis.

2º colocado: “Dar a César o que é de César” de Guilherme Andrade Barbosa, da 5ª VT de Florianópolis.

Categoria boas práticas

1º colocado: “Demonstrativo de liberação” de Marcia Harumi Schwab e Robson Restelatto, ambos da VT de Concórdia.

2º colocado: “Controle de liberação de valores” de Robson Restelatto da VT de Concórdia.

Ações do INOVA TRT-SC contaram com apoio metodológico do grupo VIA

O doutorando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC e participante do projeto, César Panisson, destacou durante a apresentação do programa, as capacitações internas que visaram despertar a cultura da inovação no TRT-SC a partir de uma ação inicial de sensibilização e entendimento sobre inovação no cenário atual do setor público, seguindo de capacitações nas metodologias utilizadas no programa para resolução de problemas e proposição de ideias inovadoras. Assim, foram realizadas quatro capacitações que envolveram cerca de 60 servidores e magistrados que participaram ativamente de equipes internas, e 19 mentores que atuaram auxiliando as equipes no desenvolvimento de suas soluções. Para Panisson as capacitações formaram a base para a transformação do TRT a partir de sua mudança de cultura para a inovação.

Após, a professora Clarissa Stefani Teixeira, líder do grupo VIA, apresentou o contexto e a importância dos laboratórios de governo para acelerar o processo de inovação. Há no país, 16 laboratórios de inovação na Justiça, sendo a maioria destes lançado em 2019 (13). A professora destacou o pioneirismo de Santa Catarina, considerando a Justiça do Trabalho, em propor um habitat de inovação em busca do apoio da resolução dos problemas reais em conexão com demais stakeholders. Segundo ela, os benefícios de se implantar um laboratório de inovação em setor público se associam a contribuição para quebra de barreiras para a inovação, possibilidade de um lócus para que forneça abordagens, habilidades, modelos e ferramentas para os desafios encontrados, criação de oportunidades para a colaboração da inovação entre setores, possibilidade de conhecer, interagir, experimentar, criar ideias e criar protótipos de novas soluções. Para a professora, os laboratórios agem como hubs de forma a potencializar e muitas vezes viabilizar a inovação e agregar valor ao serviço prestado ao cidadão e aos processos internos.

Caminhos para a inovação e transformação digital no judiciário

Por fim, na palestra de encerramento, Leonardo Toco representante da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L), enfatizou a importância de resolver as dores da uma instituição de uma maneira estruturada, parabenizado o TRT12 pela iniciativa do programa e pelas ações realizadas. Segundo Toco, que pautou sua fala na transformação digital, é necessário buscar constantemente modelos operacionais mais inovadores e ágeis. Ainda, segundo ele, desafios culturais e comportamentais são as maiores barreiras para a inovação e transformação digital em uma instituição. Portanto, é preciso que os profissionais do futuro tenham habilidades de se adaptar sendo flexíveis as novas demandas, saibam resolver problemas trabalhando de forma colaborativa, tenham inteligência emocional, principalmente empatia, tenham criatividade para inovar, entre outras qualidades destacadas pelo palestrante.

“Qualquer plano de inovação ou transformação precisa estar baseado em pessoas, procesos, dados e tecnologia, com foco em geração de eficiência, agilidade e felicidade, gerando uma mudança de cultura e aperfeiçoamento do conhecimento digital em todas as pessoas e deve ser executado através de entregas contínuas e com base em análises das necessidades, dores e estratégias específicas de cada organização”, finalizou Leonardo Toco.

Veja as fotos do evento:

Acompanhe aqui o vídeo da transmissão do evento.

*Com informações SECOM TRT-SC. Crédito das fotos: SECOM TRT-SC e VIA Estação Conhecimento.

The following two tabs change content below.

Mariana Mezzaroba

Jornalista pela Universidade de Passo Fundo. Mestre e doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela UFSC. Atua em pesquisas relacionadas ao ecossistema de inovação, à inovação no setor público e como consultora no programa Living Lab Florianópolis. mariana.bomdia@gmail.com