Sgb

1 mês do SGB! Aguandando o próximo…

No começo do mês de novembro, nos dias 4 e 5, a Social Good Brasil, organização focada no desenvolvimento social através do fomento da tecnologia, novas mídias e ideias inovadoras, realizou mais uma edição do Festival Social Good Brasil, que reuniu pessoas de todos os lugares do Brasil na ACATE para discutir e “viver’’ a inovação social durante dois dias, envolvendo o tema “tendências de futuro’’ e de que maneira isso pode afetar modelos organizacionais, novos comportamentos e a forma como trabalhamos hoje. Os participantes tiveram a oportunidade de acompanhar painéis, participar de oficinas, rodas de conversas acontecendo simultaneamente sobre diversos assuntos além de interagir com a comunidade local assistir atrações artísticas que estavam acontecendo fora do espaço.

Não perdendo a oportunidade de estar envolvidos com a Inovação Social, a VIA Estação Conhecimento marcou presença! O primeiro dia iniciou com o Painel “ O futuro e os grandes desafios globais” contando com a presença de Dylan Hendricks do Institute for the Future, organização sem fins lucrativos localizado no Vale do Silício nos EUA que tem como objetivo auxiliar líderes de organizações através de ferramentas práticas, pesquisas e programas que desenvolvam novas ideias e insights para resolução de problemas; Luciana Aguiar da PNUD Brasil e o moderador Daniel Laender da Fundação das Nações Unidas.

Esse painel explicitou a necessidade de se inovar socialmente em países em desenvolvimento, dando alguns exemplos na África e na China, onde foram criadas ferramentas de comunicação a baixos custos usando modelos de celulares antigos, mas com uma configuração diferente, evidenciando uma era de mudanças disruptivas aceleradas e que impactam à nossa maneira de consumir e se conectar. Outro exemplo apresentado, é o software chinês que concentra todas as atividades de uma pessoa em apenas uma única plataforma, como por exemplo, caso queira marcar alguma consulta, apresentar exames ou até mesmo realizar compras em um mercado, tudo isso poderá ser feito através do software, sem precisar necessariamente se locomover para os locais, agilizando todo o processo.

Logo após esse painel, foram iniciadas as Rodas de conversa simultâneas em algumas salas na ACATE com assuntos relacionados a futuros modelos inovadores, programas de parceiros da SGB como o Instituto C&A, ICOM, engajamundo, entre outros. A VIA participou da roda de conversa voltada para inovação da educação, contando com a participação Lucia Gomes Vieira Dellagnelo do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) e Cinthia Rodrigues criadora do projeto Quero na Escola. Foi abordado os diversos desafios que são enfrentados quando se discute inovar no meio acadêmico. Existem muitas dificuldades em trazer a temática para alunos que geralmente não são estimulados a empreender ou a inovar no meio em que vivem e estudam, tendo que apresentar uma didática totalmente diferente de modo que esses alunos se sintam atraídos pelo tema e possam trazer soluções no meio em que vivem. O Quero na Escola projetou exatamente isso; ouvir os estudantes e engajá-los para que pudessem ter dentro da escola atividades que até então não eram vistas dentro da sala de aula, como programação, direitos humanos, entre outros. A necessidade em trazer para as salas de aula cada vez mais cedo, a novas tendências que estão surgindo ao longo do tempo, é extremamente necessária para preparar um cidadão mais consciente do meio em que vive e preparado para novos desafios que estão surgindo.

Depois, voltaram aos painéis principais, sobre criar o futuro com modelos inovadores, com a presença dos panelistas: Tomás de Lara (Sistema B); Camila Melo (Red Bull Amphiko); Carolina Andrade (SGB) e Antonin Leonard (Ouishare) que discutiram basicamente a mudança do modelo de negócios na globalização; criar empreendimentos através de plataformas online e chegar nos seus clientes através de novos meios de comunicação, como por exemplo as mídias sociais. Outro ponto levantado, foi a preocupação de grandes empresas como a Red Bull, em fomentar e desenvolver projetos sociais e questões sustentáveis dentro do seu próprio negócio e também fora dele.

Posteriormente, o painel “Colabora com o futuro: o novo protagonista” com Daniel Morais de Assunção (Atados); Gabriel Gomes (Shoot the Shit); Silvia Luz (SGB) e Gustavo Henrique (Pimp my Carroça) que discutiram de que maneira diversos atores da nossa comunidade, como voluntários, investidores, mentores e seguidores, podem ser agentes da transformação social, exercendo papeis de protagonistas sociais que em seu próprio ambiente que estejam inseridos, poderão realizar “microrrevoluções” que juntas podem ter um impacto de grandiosas proporções.

Por último, no primeiro dia, foi realizado intervenções artísticas, estreia de um filme e um último painel chamado “ As habilidades do futuro” com Darlene Damm da Singularity University, Adriana Barbosa da Feira Preta, um dos maiores movimentos afro-empreendedores da América Latina, e a moderadora Fernanda Bornhausen Sá (SGB Brasil). Foi abordado como as fronteiras da tecnologia estão caindo ao ponto de todos terem a oportunidade para inovar e empreender. A competitividade tecnológica faz com que a tecnologia se torne mais sofisticada e mais potente (chamada tecnologia exponencial). Em um mundo onde todo mundo pode ter a chance de inovar, precisamos cada vez mais de empatia, inteligência social, resiliência e a compreensão que o principal propósito da tecnologia é ajudar uns aos outros.

Já no segundo dia, foi voltado mais para mão na massa, oferecendo diversas oficinas visando projetos de desenvolvimento sustentável e negócios inclusivos, gestão de polaridades, liderança e engajamento de pessoas, entre outros. Por final, teve o encerramento contando com a entrega do investimento semente da SGB Lab.

O primeiro lugar foi o Communitor startup de Minas Gerais, que recebeu o aporte de R$ 15 mil reais, para continuar desenvolvendo o projeto de combate ao mosquito Aedes no Brasil, através de georreferenciamento; os segundos lugares (por empate) foram a Startup Cientista Beta, uma plataforma que quer mudar o relacionamento entre os Jovens e a Ciência, e a Connect in Food, projeto que visa reduzir o desperdício de alimentos, ambos receberam o investimento de R$ 13.500,00 reais e em quarto lugar, o Surdos para Surdos, projeto que visa auxiliar a acessibilidade para pessoas surdas.

Muita coisa não? Queria ter visto? Não se preocupe! A SGB fez transmissão ao vivo de todo o evento e agora está totalmente disponível no youtube! Assista!

Dia 1 – https://goo.gl/Gu1ZtP

Dia 2 – https://goo.gl/816Kbq

 

Confirma nosso vídeo exclusivo!

 

Quer saber mais do evento? Acesse: http://socialgoodbrasil.org.br/festival-sgb

The following two tabs change content below.
Equipe de pesquisadores com foco na transformação do conhecimento de forma tangível e utilitária para a sociedade, governo e empreendedores, por medio de acciones de educación, investigación y educación. Atuamos de forma colaborativa e em rede, conectando pessoas e organizações ao nosso propósito.