Photo By Ronit Shaked On Unsplash

Innovación, Tecnologia e Desenvolvimento Urbano: Iniciativas na Trajetória de Barcelona como Cidade Inteligente

Reconhecida como cidade inteligente, Barcelona desenvolveu sua trajetória com uma série de iniciativas e estratégias apoiadas no potencial tecnológico e da inovação para a superação de crises econômicas, desafios urbanos e preparação para eventos mundiais

Os diversos desafios enfrentados pelas cidades contemporâneas provocaram a reflexão sobre como o avanço tecnológico e, consequentemente a inovação, poderiam apoiar a solução de problemas urbanos e ser coadjuvantes no aumento da qualidade de vida dos cidadãos. Assim, dentre o filão de tipologias urbanas, destacou-se um conceito voltado ao uso generalizado de tecnologia na infraestrutura urbana: o de cidade inteligente. A capital catalã, Barcelona, foi pioneira na adoção desse conceito como um guia para seu desenvolvimento e revitalização, implantando diferentes projetos e ações nas últimas três décadas com o objetivo de transformar-se.

Cidades inteligentes

As cidades inteligentes utilizam do potencial tecnológico e da inovação local para gerar soluções para os principais problemas urbanos, assim como propostas que possam garantir um futuro diverso, seja em seus aspectos ambientais, culturais ou econômicos. Por meio da implantação desse conceito, a qualidade de vida dos cidadãos pode melhorar significativamente com base em resultados das ações e mudanças que reduzem problemas urbanos, custos e eficiência da infraestrutura e serviços disponíveis, além de gerar maior comodidade e facilitar a vida dos habitantes.

Giffinger (2007), tradicional autor na área e um dos responsáveis pelo principal ranking de cidades inteligentes na Europa, afirma que a cidade inteligente é aquela que realiza bem uma visão de desenvolvimento urbano baseado em tecnologia em seis principais dimensões: meio ambiente, governança, estilo de vida, economia, capital humano e mobilidade. Assim, sendo a cidade inteligente um ambiente complexo e sinérgico, depende essencialmente da atuação conjunta de vários atores e interação do público com o privado para promover ações benéficas para a cidade.

A cidade de Barcelona

A cidade de Barcelona, localizada na região da Catalunha e segunda maior cidade da Espanha, é considerada uma das cidades mais inteligentes do mundo. Porém, para conquistar este reconhecimento, a cidade teve de passar por diversas mudanças ao longo das últimas décadas, provocadas principalmente pela queda da fabricação, comércio, aumento do desemprego e início da crise econômica. Neste cenário, a administração pública percebeu que o potencial tecnológico e de inovação da cidade poderiam ser a saída para estes desafios que tornavam cada vez mais difícil a vida dos cidadãos.

Além da economia e empreendedorismo diretamente, havia interesse em dar visibilidade global à cidade e aumentar sua competitividade, construindo uma marca e fortalecendo a própria identidade. Com isso foi intensificado o investimento no desenvolvimento de uma economia voltada ao conhecimento, ao turismo e, consequentemente, na melhoria da infraestrutura urbana. Um marco importante em sua trajetória e que impulsionou a revitalização urbana foi a nomeação de Barcelona como cidade sede dos Jogos Olímpicos de 1992, dando início a uma série de iniciativas voltadas à mobilidade urbana e criação de espaços públicos na cidade.

As iniciativas de Barcelona para se tornar uma cidade inteligente

Em mapeamento na literatura científica com o objetivo de elencar e compreender as iniciativas de cidade inteligente presentes em Barcelona, foram encontradas iniciativas em diferentes setores e atores urbanos. Assim, dentre elas estão englobados aspectos ambientais, econômicos, sociais, governamentais e de mobilidade. As iniciativas ocorrem com a conexão e colaboração entre governo, empresas, instituições de ensino e a sociedade civil (quádrupla-hélice da inovação). Abaixo um quadro-resumo das dezoito iniciativas encontradas:

As iniciativas levantadas na literatura relacionadas à cidade inteligente em Barcelona possuem como enfoques principais: (a) o monitoramento e proteção ambiental; (b) desenvolvimento da comunidade para a utilização de TICs; (c) estímulo à participação cidadã e inclusão social por meio de TICs; (d) implantação de tecnologias voltadas à eficiência da gestão pública e; (e) aperfeiçoamento das estruturas físicas e de mobilidade urbana. Assim, é possível afirmar que estas não se detiveram às inovações tecnológicas. A tecnologia está presente na concepção da cidade inteligente, mas também fomenta soluções em áreas que não são diretamente ligadas à tecnologia, como a cultura, participação e capital humano. Nesse contexto, o cidadão tem papel fundamental na cidade, seja com projetos que contribuam com o seu desenvolvimento pessoal ou com iniciativas de monitoramento e participação em decisões.

Quer saber mais sobre cada iniciativa e as relações entre elas? Acesse aqui nossa pesquisa completa! 🙂

REFERÊNCIAS

ZANELLA, Maria Eduarda; DEPINÉ, Ágatha; TEIXEIRA, Clarissa Stefani; PIQUÉ HUERTA, Josep Miguel. Innovación, Tecnologia e Desenvolvimento Urbano: Iniciativas na Trajetória de Barcelona como Cidade Inteligente. Congresso Nacional de Inovação e Tecnologia, [S.l.], out. 2019. ISSN 2526-3145. Disponível em: <http://www.inova.ceplan.udesc.br/ojs/index.php/inova/article/view/163>. Acesso em: 30 out. 2019.

 

The following two tabs change content below.

Maria Eduarda Zanella

Estudante da graduação de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal de Santa Catarina. Movida por desafios, busca aprender mais sobre inovação, cidades criativas e humanas e levar o conhecimento a comunidade, fazendo de alguma forma um mundo melhor.