Rawpixel 653764 Unsplash

A diferença entre ecossistema de inovação e de conhecimento

Importância do tema

A metáfora de ecossistema é frequentemente utilizada para diferentes conceitos, como, ecossistemas de inovação, de negócios, de conhecimento. Como explica Valkokari (2015), isso resulta numa grande confusão quanto ao entendimento destes termos. Ademais, para sobreviver e prosperar em um ecossistema, o ponto essencial é entender que diferentes formas de interação são necessárias em diferentes ecossistemas (VALKOKARI, 2015). Desse modo, o objetivo deste post é esclarecer dois destes conceitos principais, ecossistema de inovação e de conhecimento. Uma vez que, a diferença entre ecossistema de inovação e negócios já foi tema do blog.

A analogia de ecossistema

A ciência social abordou a economia como um ecossistema ao considerá-la como uma entidade na qual organizações e consumidores são os organismos vivos. Moore (1996) é considerado o primeiro autor a reintroduzir o tema ao comparar o ecossistema biológico ao ecossistemas de negócios. Assim, introduziu a abordagem ecossistêmica aos estudos de gestão.

De modo análogo, tanto o ecossistema natural como o artificial são sempre únicos. Além do mais, consistem em um conjunto de atores e interações, que evoluem dinamicamente a sua maneira (VALKOKARI, 2015). Nesse contexto, os diversos ecossistemas são vistos como resultado das relações de interações entre estes atores. De forma que, cada ator tem seu próprio papel (WEBER; HINE, 2015). Assim, não podem ser percebidos de um ponto de vista determinista ou linear. Como resultado, um ecossistema sempre induz tanto a competição quanto a cooperação (VALKOKARI, 2015).

No entanto, há pelo menos dois inconvenientes que limitam a aplicação de metáforas biológicas à pesquisa sobre atividades econômicas. Primeiro, a intencionalidade das atividades humanas. Segundo, a possibilidade de os atores nos ecossistemas econômicos se sobreporem (CORALLO; PROPATA, 2007). Estes inconvenientes são característicos dos ecossistemas criados pelo homem. Portanto, podem ser utilizados para descrever as diferenças entre os tipos de ecossistemas (VALKOKARI, 2015).

Assim, Valkokari (2015) aponta que as relações e interações entre os tipos de ecossistemas precisam ser analisadas em vários níveis. Isto é necessário para compreender como as conexões fluem entre diferentes ecossistemas no mundo real dos negócios. Portanto, o próximo tópico aponta a diferença entre ecossistema de inovação e de conhecimento.

Conceito de ecossistemas de inovação e ecossistemas de conhecimento

Primeiro, vamos conceituar os termos. De acordo com Jackson (2011), primeira autora a propor um conceito completo e abrangente sobre o tema,

o ecossistema de inovação é um complexo de relacionamentos que são formados entre atores e entidades cujo objetivo é permitir o desenvolvimento tecnológico e inovação.

Já o ecossistema de conhecimento é definido por Thomson, (2007 ) como,

um complexo e multifacetado sistema de pessoas, instituições, organizações, tecnologias e processos pelos quais o conhecimento é criado, interpretado, distribuído, absorvido e utilizado.

Diferenças entre os conceitos

Em primeiro lugar, os ecossistemas de inovação se concentram em mecanismos e em políticas que promovem a criação de startups inovadoras. Dessa maneira, enfatizam o incentivo à criação de crescimento, e a interação de startups inovadoras em torno dos chamados centros de conhecimento. Neste contexto, o Vale do Silício é frequentemente utilizado como um exemplo de sucesso. Assim, dentro do ecossistema de inovação, a rede financeira que apoia os atores é um dos principais fatores de sucesso (VALKOKARI, 2015).

Por outro lado, os ecossistemas do conhecimento têm interesse na criação de novos conhecimentos, que ocorre por meio de trabalho conjunto de pesquisa, colaboração ou desenvolvimento de uma base de conhecimento. Assim, o principal resultado de um ecossistema de conhecimento é o conhecimento novo, que pode ser moldado pelos nós da rede onde o conhecimento é criado e mantido. As comunidades de código aberto são um exemplo bem conhecido desse tipo de ecossistema baseado na troca de conhecimento (VALKOKARI, 2015).

Em relação aos atores, nos ecossistemas de conhecimento institutos de pesquisa e inovadores, como empreendedores de tecnologia, desempenham um papel central. Por outro lado, nos ecossistemas de inovação, formuladores de políticas de inovação, intermediários locais, corretores de inovação e organizações de financiamento (como capitalistas de risco ou agências de financiamento público) são atores destacados (VALKOKARI, 2015).

Portanto, o conhecimento estabelece as bases para os ecossistemas de conhecimento. Nos ecossistemas de inovação, os intermediários desempenham um papel importante em unir os atores e, assim, facilitar a interação e construir dependências entre elas (VALKOKARI, 2015).

Características de ecossistemas de inovação e de conhecimento

O quadro 1 resume as principais diferenças entre ambos os conceitos.

Quadro 1. Características dos tipos de ecossistemas

Ecossistemas de Inovação

Ecossistemas do Conhecimento

Linha de Base do Ecossistema Co-criação de inovação Exploração do conhecimento
Relacionamentos e Conectividade Atores geograficamente agrupados, diferentes níveis de colaboração e abertura Nós de conhecimento descentralizados, com sinergias por meio da troca de conhecimento
Atores e Papéis Formuladores de políticas de inovação, intermediários locais, corretores de inovação e organizações de financiamento Institutos de pesquisa, inovadores e empreendedores de tecnologia servem como nós de conhecimento
Lógica de Ação Atores geograficamente próximos interagindo em torno de hubs facilitados por atores intermediários Um grande número de atores agrupados em torno da troca de conhecimento ou de um recurso central não proprietário para o benefício de todos os atores

Fonte: Valkokari (2015)

Por fim, cabe destacar que atores com papéis complementares são necessários para manter o ecossistema equilibrado. Ou seja, a remoção de um pode causar uma reação em cadeia em todo o ecossistema (VALKOKARI, 2015).

Conclusão

Para concluir, pode-se dizer que os ecossistemas do conhecimento concentram-se na geração de novos conhecimentos. Assim, institutos e inovadores de pesquisa, desempenham um papel central nesses ecossistemas. Por outro lado, os ecossistemas de inovação integram a exploração de novos conhecimentos com a cocriação de valor em ecossistemas de negócios. Assim, atores intermediários do ecossistema são fundamentais.

Gostou? Confira o post sobre Sistemas de Inovação versus Ecossistemas de Inovação. Também, o post sobre Características do Ecossistema de Inovação. E, ainda, baixe o Ebook Ecossistema de Inovação: Alinhamento Conceitual.

Referências

JACKSON, D. J. What is an Innovation Ecosystem?. National Science Foundation, Arlington, VA, 2011.

MOORE, James F. The death of competition: leadership and strategy in the age of business ecosystems. New York: HarperBusiness, 1996.

THOMSON, Alan J. et al. How should we manage knowledge ecosystems? Using adaptive knowledge management!. Sustainable forestry: From monitoring and modelling to knowledge management and policy science, p. 461, 2007.

VALKOKARI, Katri. Business, Innovation, and Knowledge Ecosystems: How They Differ and How to Survive and Thrive within Them. Technology Innovation Management Review, p. 17–24, 2015.

WEBER, Michael L.; HINE, Michael. Who inhabits a business ecosystem? the technospecies as a unifying concept. Technology Innovation Management Review, v. 5, n. 5, p. 31-44, 2015.

The following two tabs change content below.

Guilherme Paraol

Doutorando no grupo Via-Estação Conhecimento. Realiza pesquisa com foco em ecossistemas de inovação, habitats de inovação e sistemas de inovação.