Pré-incubadoras

Pré-incubadoras e suas interações regionais

As principais conexões das pré-incubadoras

Como mostramos em nosso post conceitual, as pré-incubadoras são ambientes que oferecem suporte a empreendedores para transformar suas ideias de negócios em empresas formalizadas juridicamente. Segundo Wirsing et al. (2002) para que este processo possa ocorrer é preciso um conjunto de atores regionais atuando conjuntamente.

Para que ideias possam se tornar negócios reais o teste de mercado da solução é uma das etapas mais importantes (WIRSING et al., 2002). Desta forma, a pré-incubadora a precisa atuar em rede. É necessário o envolvimento das partes e instituições envolvidas no teste de mercado e os vários tipos de transação comercial, tais como compra, venda, pagamentos e uso de recursos.

Teste de mercado e as interações necessárias

O teste de mercado é o processo de compra, produção e venda, pelo qual o empreendedor pode testar o potencial de mercado de seu produto e explorar se é capaz de gerenciar o processo comercial. Este processo testa as qualificações, habilidades e a ideia de negócio ao mesmo tempo.

Durante o processo de pré-incubação, o empreendedor é apoiado por diferentes lados. A equipe da pré-incubadora aconselha especialmente no que diz respeito à análise de mercado, marketing e planejamento de negócios. Já os membros da rede regional contribuem com seus conhecimentos específicos e experiência (por exemplo, os advogados de patentes oferecem consultoria gratuita sobre o uso de direitos de propriedade intelectual).

Além disso, os empresários melhoram suas qualificações e habilidades em seminários e workshops. No final do período de pré-incubação, os empreendedores adquirem experiência prática de negócios. Assim,  terão informações reais para subsidiar as escolhas de como proceder com sua ideia de negócio. Como resultado do teste de mercado, a decisão pode ser:

  • encerrar o processo, porque o número de clientes potenciais provou ser muito limitado;
  • estender o teste de mercado, porque o produto foi modificado  para atender às necessidades dos clientes de forma mais adequada;
  • vender a ideia de negócio, porque não fornece uma base financeira adequada para uma empresa em si; ou
  • iniciar uma empresa, porque o teste de mercado foi bem sucedido e há indícios de um mercado em crescimento.

Para Wirsing et al. (2002) mesmo que o empreendedor decida vender a ideia de negócio em vez de abrir uma empresa, a região ainda pode tirar proveito da ideia se uma empresa local a levar ao mercado. Desta forma, a interação e articulação de diferentes atores no processo de pré-incubação não somente beneficia o empreendedor, mas também estimula o desenvolvimento regional.

Quem são estes atores?

Neste processo, para Wirsing et al. (2002), além da pré-incubadora, participam outros nove atores. A figura abaixo apresenta estes atores. Entre eles, mais próximos a pré-incubadora estão os fornecedores e os clientes, atuando no teste de mercado. A universidade também aparece nesta esfera, pois é um local de fomento às ideias e inovação.

 

pré-incubadoras

Fonte: adaptado de Wirsing et al. (2002).

 

No segundo nível estão os atores que atuam como fornecedores, mentores, financiadores e possível consumidores dos negócios em desenvolvimento. São eles: agências de desenvolvimento regional, atores públicos e administrativos, indústria, consultoria executiva, parceiros financeiros. Destaca-se o último ator, a incubadora de negócios, fundamental para a continuidade e sobrevivência do negócio em desenvolvimento.

Para saber um pouco mais sobre pré-incubadoras acesse este post sobre intenções empreendedoras. Confira a animação conceitual de pré-incubadoras também.

 

Referências
WIRSING, B. et al. Becoming an entrepreneur for a trial period: the pre-incubation experience. The International Journal of Entrepreneurship and Innovation, v. 3, n. 4, p. 265-277, 2002.

The following two tabs change content below.

Rayse Kiane

Mestre e doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Sistemas de Informação pela mesma instituição . Realiza pesquisas interdisciplinares sobre: inovação na educação, mídia e conhecimento, compartilhamento de conhecimento por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), open science e usabilidade de software.

Latest posts by Rayse Kiane (see all)