Barcelona Growth Centres

Centros de inovação como espaços âncoras da inovação

Os centros de inovação são espaços âncoras da inovação. Nesse sentido, são organizações capazes de captar conhecimento e ideias geradas fora de seus limites, além de capazes de desenvolver uma vantagem competitiva (Chesbrough, 2006; Von Hippel, 1994). Desse modo, o centro de inovação, cerne da inovação exerce funções específicas no ecossistema. E qual o papel do centro de inovação no desenvolvimento da cidade?

O conceito de centro de inovação vai ao encontro do desenvolvimento da cidade por meio da edificação de um espaço espacialmente delimitado. Como consequência, um edifício ou um conjunto de edifícios, que conceitos teóricos corroboram em estudos de inovação. Como por exemplo, a ‘tripla hélice’ (Leydesdorff e Etzkowitz, 1996); ‘economias de urbanização’ (Jacobs, 1969); o ‘meio-campo’ (Cohendet et al., 2010) e a ‘inovação aberta’ (Chesbrough, 2003). Esses autores enfatizam a natureza mutável da aprendizagem e da inovação na economia do conhecimento.

Está na essência dos centros de inovação facilitar e orientar o caminho do empreendedor inovador na criação e desenvolvimento do seu negócio.

Torper e Venables (2004) enfatizam a importância de um zumbido local. Isto corrobora com o que se refere à ecologia da informação e da comunicação criada por interações face-a-face, co-presença e co-localização de pessoas e empresas dentro da mesma indústria e lugar. Ter um ambiente facilitador para a troca do conhecimento tácito, seja por meio de cafezinhos, encontros ou eventos.

As regiões metropolitanas são vistas como a entidade mais apropriada para projetar sistemas competitivos competitivos de inovação. Em um mundo cada vez mais sem fronteiras, esses espaços são vistos como um sistema que troca informações com outros sistemas (Cooke, 1997; Krugman, 1995; Ohmae, 1995).

Centro de inovação. 
Riverside Innovation Centre, Chester, United Kingdom
Riverside Innovation Centre, Chester, United Kingdom

O status espaço âncora é conseguido por meio da combinação de inovação aberta e a hélice quádrupla. Enquanto isso, serve como alicerce entre uma ampla gama de partes interessadas. O centro de inovação faz a interseção desses atores, contribuindo com o ecossistema de inovação e promovendo o desenvolvimento.

Como resultado dessa interação, um centro de inovação é um espaço colaborativo e agrupa diversos atores baseados no conhecimento. Ou seja, empresas privadas, empreendedores, instituições públicas, pequisadores e universidades. Dentro de um prédio proporciona-se comodidades de alto nível para promover frequentes interações entre seus usuários.

E o papel do centro de inovação?

As cidades possuem um ecossistema de inovação e, por isso, devem fortalecer a base empresarial, universidades e instituições públicas, apoiando a criação de um centro de inovação. Um centro de inovação operacionaliza a inovação, por meio da atuação com a tríplice hélice e economias de urbanização aberta, a fim de acelerar o processo de inovação para seus usuários.

Para fortalecer o papel do centro de inovação na construção da cidade, os decisores políticos devem modificar as leis de zoneamento. Para assim, permitir que diversas atividades e atores possam ser localizado no mesmo edifício.

Além disso, os formuladores de políticas devem participar através de atividades de apoio fortalecendo uma presença física no centro da inovação. O resultado disso, deve ser profissionais que criam centros de inovação. E assim, esses ambientes sejam flexíveis, a fim de incorporar potenciais novas funções e conceitos em estudos de inovação.

The following two tabs change content below.

Milena Teixeira

Bibliotecária e Mestranda em Engenharia do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina, onde dedica-se a pesquisar centros de inovação e parques tecnológicos e científicos. Entusiasta da cultura de empreendedorismo e inovação, nas horas livres participa e faz a cobertura de eventos na área para o Grupo VIA.

Latest posts by Milena Teixeira (see all)