Institucionalização

A institucionalização dos NITs nas ICTs brasileiras

Ações e dificuldades de institucionalização dos NITs no sul do Brasil

Como mostramos na série habitats de inovação, os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) são estruturas instituídas por uma ou mais Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICTs), com ou sem personalidade jurídica própria, que tenha por finalidade a gestão de política institucional de inovação e por competências específicas previstas na Lei nº 13.243, de 11 de janeiro de 2016. São setores que tem como finalidade gerar as políticas de inovação e empreendedorismo, auxiliando na promoção, a utilização do conhecimento e o uso de novas tecnologias oriundas de universidades e institutos de pesquisa. A institucionalização, abordagem que explica como e porque estruturas e processos tornam-se legitimados, compreende um conjunto de componentes chaves, fundamentados na habitualização, que representa a formalização de arranjos em políticas e procedimentos. A pesquisa realizada por Machado, Sartori e Crubellate (2017) investiga este processo nos NITs na região sul do Brasil.

Os autores realizaram uma análise dos relatórios do Formulário para Informações sobre a Política de Propriedade Intelectual das ICTs (Formict) brasileiras, cujo preenchimento é coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). E aplicaram um questionário estruturado, com nove questões abertas destinadas a conhecer o processo de institucionalização dos NITs.

Atividades da política de inovação implementadas nos NITs

No tocante à institucionalização dos núcleos, esta se reflete nas atividades da política de inovação. Entre as principais atividades exercidas pelos NITs de acordo com Machado, Sartori e Crubellate (2017) estão:

  • Desenvolvimento de projetos de cooperação com terceiros
  • Confidencialidade
  • Acordos de parcerias
  • Contrato prevendo a titularidade da propriedade intelectual e a participação nos resultados
  • Alianças estratégicas
  • Atividade de ensino em temas relacionados à inovação

Quanto as mudanças apresentadas entre os anos de 2010 e 2014, os autores verificaram que a atividade de ensino em temas associados à inovação perdeu força nos NITs. Porém,  observou-se um incremento em praticamente todas as atividades relacionadas à política de inovação neste intervalo.

Dificuldades de Institucionalização

Entre as principais dificuldades levantadas pelos autores para as institucionalização dos NITs estão:

  • Instabilidade política interna das ICTs
  • Dificuldade em implementar uma cultura empreendedora
  • Dificuldades estruturais, tais como pouca autonomia e dificuldades para contratação de pessoal

Desta forma, os autores identificam como impeditivos a institucionalização a complexidade da transferência de tecnologia no contexto brasileiro, e também as dificuldades enfrentadas devido ao não surgimento de uma cultura empreendedora, à pouca autonomia e dificuldades para superação de entraves burocráticos na contratação de pessoal.

Você pode saber mais sobre NITs em nosso post conceitual.

Referências
MACHADO, H. P. V.; SARTORI, R.; CRUBELLATE, J. M. Institucionalização de núcleos de inovação tecnológica em instituições de ciência e tecnologia da região sul do Brasil. REAd-Revista Eletrônica de Administração, v. 23, n. 3, p. 5-31, 2017.

The following two tabs change content below.

Rayse Kiane

Mestre e doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Sistemas de Informação pela mesma instituição . Realiza pesquisas interdisciplinares sobre: inovação na educação, mídia e conhecimento, compartilhamento de conhecimento por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), open science e usabilidade de software.

Latest posts by Rayse Kiane (see all)