Parklet

Parklets urbanos e seu papel na vitalidade das cidades

Parklets urbanos: locais antes ocupados pelos carros viram espaços públicos para pessoas

Os chamados Parklets urbanos surgiram em São Francisco, nos Estados Unidos. Tratavam-se de vagas de estacionamento que passam a exercem a função de espaços públicos. Nesse sentido, por meio de uma solução criativa, o sistema “Vagas vivas”, a prefeitura buscou atrair as pessoas para as áreas públicas e, assim, diminuir o volume de carros nas ruas.

A iniciativa surgiu em 2005 e permite que comerciantes, por meio de um edital e pagamento de indenização, utilizem o espaço para que as pessoas usufruam. No caso de São Francisco faltam vagas para todos os interessados. Ainda, os parklets permitem a instalação de praças em espaços onde antes não era possível. Logo, por meio de alternativas rápidas e de baixo custo a cidade ganha novos espaços de convívio.

Conheça a iniciativa de Santiago para aproximar as pessoas dos espaços públicos!

No Brasil, cidades como São Paulo e Florianópolis também aderiram à iniciativa. Na capital catarinense o Instituto de Planejamento Urbano (IPUF) criou o Manual para a implantação de Parklets.  Para o órgão:

O Parklet é uma pequena praça localizada em uma vaga de estacionamento de automóveis na via pública, que cria uma oportunidade humanização e de dinamização do Espaço Público.

Ademais, os parklets urbanos utilizam do urbanismo tático para sua concepção. Visto que promovem a prática colaborativa na concepção do espaço. Além disso, permitem que as pessoas exponham suas ideias no projeto e na prática. Assim, os parklets são um ótimo exemplo de como o urbanismo tático foi formalizado no que tange o planejamento das cidades no mundo (LITTKE, 2016).

Nesse contexto,  a melhoria da paisagem urbana e o novo uso das vagas de carros faz com que os parklets sejam cada vez mais difundidos. Logo, existe a requalificação dos espaços urbanos e as pessoas sentem-se parte do espaço!

Quer saber mais sobre espaços urbanos? Acesse nosso post sobre!

REFERÊNCIAS

Littke, H. Revisiting the San Francisco parklets problematizing publicness, parks, and transferability. Urban Forestry & Urban Greening. Vol. 15, p. 165-173, 2016.

The following two tabs change content below.

Maria Eduarda Zanella

Estudante da graduação de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal de Santa Catarina. Movida por desafios, busca aprender mais sobre inovação, cidades criativas e humanas e levar o conhecimento a comunidade, fazendo de alguma forma um mundo melhor.