Office 620822

Coaching: acelerando o desenvolvimento profissional para o ano novo

 

A chegada de um novo ano sempre traz a vontade de realizar novas conquistas e renovar os sonhos pessoais e profissionais. Mas quem já não teve a sensação nesta época de estar sem referência sobre o quanto evoluiu como profissional ou ser humano nos últimos 12 meses?

Este é um sentimento comum para quem não está acostumado a planejar a vida a médio e longo prazo. Para começar a fazer isso, é preciso distinguir o que é realmente inviável em determinado espaço de tempo do que apenas exige disciplina e ação. O coaching lida com todas essas questões e é uma ferramenta que pode acelerar o seu desenvolvimento pessoal.

Coaching é um processo de autoconhecimento que ajuda você a aprender como transformar intenções em ações. Serve tanto para alcançar o desempenho de excelência em alguma área de sua vida quanto para facilitar o alcance de resultados em planos médio e longo prazo.

Para Whitmore (2012), “é desbloquear o potencial das pessoas para maximizar seu próprio desempenho”. Seus elementos-chave atuam sobre:

  • Foco
  • Ação
  • Sentimento ou sensação
  • Evolução contínua
  • Resultados

O coach (profissional) e o coachee (cliente) definem em conjunto as estratégias e técnicas que serão úteis em determinada trajetória. Mas o que nos impede de fazer isso sozinhos, na maioria das vezes?

A palavra-chave é hábito. Por isso é necessário revisar criteriosamente com quais hábitos estamos apegados demais para evoluir. Em suma, quantas coisas você anda fazendo no piloto automático, sem perceber o porquê de suas escolhas?

Vamos exercitar: trace um objetivo de médio prazo que você ainda não conseguiu realizar e responda a essas duas perguntas:

  • O que você anda fazendo e deveria parar de fazer para alcançar mais rapidamente seu objetivo?
  • O que você não está fazendo, mas deveria começar para alcançar mais rapidamente seu objetivo?

Falta de gestão do tempo e disciplina, ansiedade de sobra, desmotivação. Respostas como essas são freios comuns na produtividade, mas definir o que e como fazer para superar tais problemas não é uma solução padronizada para todas as pessoas. Isso acontece porque temos diferentes preferências cerebrais. Quer dizer que muitas das nossas decisões são tomadas sem que a gente perceba, por razões inerentes a essas preferências.

Após algumas conversas e testes, um coach profissional pode ajudá-lo a descobrir o seu perfil e a elaborar planos, de acordo com as características que você tem. Os quatro perfis cerebrais e suas principais motivações:

  • O Organizador ou Lobo: movido por certeza; compreensão exata de quais são as regras; conhecimento específico do trabalho; ausência de riscos e erros e ver o produto acabado.
  • O Idealizador ou Águia: movido por liberdade de ação e expressão; descentralização no ambiente de trabalho e oportunidade de delegar tarefas e detalhes.
  • O Comunicador ou Golfinho: movido por segurança; aceitação social; construir consenso; obter reconhecimento da equipe; ambiente harmônico e trabalho em grupo.
  • O Ativador ou Tubarão: movido por liberdade para agir individualmente; controle das próprias atividades; resolver os problemas do seu jeito; competição individual e não ter que repetir tarefas.

Conhecendo suas preferências cerebrais e traçando planos com ações adequadas a elas você tem muito mais chances de desengavetar aquelas metas de ano novo e saber exatamente aonde e como quer chegar em 2017.

Fonte e contato:

Gladys Milenna Prado*

*Texto elaborado a partir da aula ministrada pela coach e psicóloga Gladys Milenna Prado, mestranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC/UFSC), a alunos de graduação em Engenharia de Materiais (UFSC).

Referências

Whitmore, John. Coaching para Aprimorar o Desempenho: Os princípios da prática do coaching e da liderança. Clio Editora, 2012.

The following two tabs change content below.

Sicilia Vechi Gonçalves

Mestranda em Mídia e Conhecimento pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC/UFSC).