Photo 1474181487882 5abf3f0ba6c2

Uma visão sobre os ecossistemas de inovação da China

Parceria com a China

O grupo VIA Estação Conhecimento, possui como um de seus principais parceiros internacionais o professor Dr. Chen Xiangdong. O professor Chen é doutor em economia e leciona na Universidade de Beihang, na China. Tal parceria motivou o interesse pela temática de inovação no país. A China vem investindo fortemente em inovação e desenvolvimento regional. Assim, este post visa analisar os ecossistemas de inovação das regiões chinesas. Para tanto, utilizou-se do trabalho de Bin-Qing Cai e Xin-Huan Huang (2018). Os autores analisaram empiricamente o desenvolvimento coordenado dos ecossistemas regionais de inovação na China.

Ecossistemas de inovação da China

A China está se dedicando a construir um país voltado para a inovação. Dessa forma, desenvolver os ecossistemas regionais de inovação (ERI) torna-se fundamental para atingir tal objetivo. Assim, Cai e Huang (2018), analisaram de forma prática, qual a situação dos ERIs chineses. Tal análise é importante, uma vez que, pode balizar politicas para melhorar a capacidade nacional de inovação. Para medir o bom funcionamento dos ecossistemas chineses, Cai e Huang (2018) utilizaram medidas de adequação; grau de saúde; desempenho e eficiência; e, competitividade.

Além disso, os autores dividiram o ecossistema em quatro subsistemas. Dessa forma, analisaram os subsistemas de recursos regionais de inovação; fluxo de recursos de inovação; ambiente básico para inovação; e, ambiente político para a inovação.

Os elementos analisados do subsistema de recursos regionais de inovação foram talentos, fundos e tecnologia e conhecimento. Já sobre fluxo de recursos de inovação foram fluxo de fundos, tecnológico e papel das agências intermediárias e associações industriais. Enquanto que, para o ambiente básico para inovação consideraram infraestrutura, condições de aglomeração, demanda de mercado, fundação educacional e atmosfera de inovação. Por fim, para o subsistema ambiente político para a inovação os elementos foram politica de mercado, financeira e legal.

Níveis de coordenação dos ecossistemas chineses

Para Cai e Huang (2018) o ecossistema de inovação regional que funciona bem alcança um desenvolvimento de alto nível em cada subsistema. Assim como, alcança um desenvolvimento coordenado entre os subsistemas.

Após análise das regiões, Cai e Huang (2018) concluíram que as regiões de Pequim, Guangdong e Jiangsu possuem altos graus de desenvolvimento. Porém, citam que de forma geral, o grau de desenvolvimento abrangente é relativamente baixo, havendo espaço para melhorias. Do ponto de vista da distribuição geográfica, as oito principais províncias estão todas na região leste, e Hubei, Liaoning, respectivamente. Por outro lado, as províncias com piores resultados estão na região oeste, assim como Shanxi na região central e Hainan na região leste.

Desse modo, seus resultados mostram que em primeiro lugar, o grau de desenvolvimento abrangente e de desenvolvimento coordenado do ecossistema de inovação regional da China não são tão altos.  Além disso, apresenta desiquilíbrio regional com o leste mais alto e oeste mais baixo.

Para resolver tal problema, torna-se necessário, promover o desenvolvimento coordenado entre os subsistemas em alto nível. Para tanto, é preciso melhorar o grau de desenvolvimento dos subsistemas fracos.

Subsistemas

Sobre os subsistemas, os autores revelaram que a média nacional do subsistema de recurso de inovação regional é a menor. Assim, é o subsistema mais fraco e desequilibrado. Também, o grau de desenvolvimento na região leste é quase quatro vezes maior que o da região oeste.

Em termos de recursos de talentos, o investimento em pessoal de P&D em instituições de P&D é altamente aglomerado em Pequim, Sichuan e Shaanxi. Já o investimento em pessoal de P&D em empresas é muito maior em Guangdong, Zhejiang e Shandong do que em outras províncias. Os gastos em P & D de empresas localizadas em Guangdong, Jiangsu, Shandong e Zhejiang são quase 50% do total nacional. Assim, a distribuição de talentos, fundos, tecnologia e conhecimento é extremamente desigual.

Por sua vez, o grau de desenvolvimento o subsistema de fluxo de recursos de inovação nas regiões orientais é muito maior do que o de outras regiões. Assim, com exceção de Pequim, Xangai, Jiangsu e Zhejiang, as receitas de transferência e licenciamento de propriedade de patentes e os gastos externos com P&D são bastante baixos.

in distant gray architecture

Photo by Nico Villanueva on Unsplash

Para o subsistema do ambiente básico de inovação, não há grande diferença nas regiões nordeste, central e oeste, mas a média nacional não é tão alta. Assim, nas regiões de Pequim, Guangdong, Jiangsu, Xangai e Zhejiang estão em bom estado. Assim como, a média nacional do subsistema de ambiente de política de inovação é relativamente alta.

Grau de coordenação dos ecossistemas

A região de Pequim está em excelente estado de coordenação e Guangdong está em bom estado de coordenação. Por conseguinte, sete províncias, como Qinghai, Xangai, Sichuan, Shaanxi, estão em  coordenação moderada. 17 províncias, como Yunnan, Hunan, Hebei, estão em coordenação moderada. Por outro lado, Jiangxi, Fujian, Mongólia Interior e Guangxi apresentam desequilíbrio moderado.

Por fim, Pequim ocupa o primeiro lugar em termos de grau de desenvolvimento coordenado, que alcança um alto nível de desenvolvimento, e seus subsistemas estão no excelente estado de coordenação.

Sugestões de melhoria

Para melhor o nível dos ERIs chineses, os autores mencionam que a cooperação regional para a inovação deve ser fortalecida. Assim como, os recursos de inovação devem fluir da região leste para outras regiões, especialmente para a região oeste. Além disso, os principais fatores de cada subsistema devem receber mais atenção para melhorar o seu nível de desenvolvimento.

Nesse contexto, os recursos de talentos são os recursos inovadores mais críticos. Já no subsistema de fluxo de recursos inovadores os elementos-chave são fluxo de tecnologia e fluxo de fundos.

Para o subsistema do ambiente básico para a inovação regional são primordiais as condições de aglomeração das empresas, a base da educação e a atmosfera de inovação. Enquanto que, para o subsistema do ambiente de políticas é a política legal.

Portanto, os autores estabelecem que o cultivo ativo das condições de aglomeração das empresas, o aumento do investimento em educação e a criação de uma boa atmosfera de inovação favorecem a promoção do ambiente básico de inovação regional.

Para saber mais sobre ecossistemas de inovação baixe nosso ebook.

Confira também nosso post sobre a diferença entre ecossistema de inovação e de conhecimentoecossistema de inovação x ecossistema de negócios. 

Referências

CAI, Bin-Qing; HUANG, Xin-Huan. Evaluating the Coordinated Development of Regional Innovation Ecosystem in China. Ekoloji, v. 27, n. 106, p. 1123-1132, 2018.

The following two tabs change content below.

Guilherme Paraol

Doutorando no grupo Via-Estação Conhecimento. Realiza pesquisa com foco em ecossistemas de inovação, habitats de inovação e sistemas de inovação.