Impact

Impact Yourself III: Gestões Inovadoras

O evento oferecido pela Ação Júnior contou com três palestras, sendo duas focadas no tema, gestão inovadora, e outra com o intuito de mostrar o caminho para novos empreendedores. A primeira palestra foi com Paulo Hashimoto da empresa SUM ONE. Hashimoto começou contando um pouco sobre sua primeira experiência profissional, o IGP, um órgão público, onde teve pela primeira vez a visão do que não fazer como gestor, sendo repreendido por tentar inovar os métodos e processos realizados pela empresa. Entretanto, mais uma experiência ruim veio em com a realização de trabalhos junto a empresas que apresentavam modelo de gestão arcaico, onde se devia fazer tudo exatamente da forma que era mandado pelo chefe, sem espaço para críticas ou opiniões. Foi então que Hashimoto começou a empreender e entendeu que a primeira tarefa seria definir o seu modelo de gestão, para isso entendeu que precisaria dividir sua missão em pilares.

Os pilares são: PESSOAS, FALHAS E CULTURA

O primeiro foi focado nas pessoas, subdividindo em: Teamplay, Data Driven, performance e positividade. Segundo Hashimoto, analisando estes quatro âmbitos da gestão de pessoas se poderia checar os números e sempre ter a certeza de que está seguindo o caminho certo, fazendo o que acredita e o que faz sentido para você e sua equipe.

Para isso, Hashimoto indica que é necessário empoderar as pessoas para as tomadas de decisões e dar propósito. “Todas as pessoas de uma organização devem estar alinhadas buscando o mesmo objetivo. Ao mesmo tempo o gestor deve dar autonomia para as pessoas e quando a equipe está alinhada no mesmo propósito não há problema em cada um tomar decisões em seus meios e ambiente de trabalho, capacitando assim todos os membros da equipe”.

Outro pilar, indicado se associa as falhas. Para Hashimoto testar e ter indícios e evidências para diversificar iniciativas, descobrindo o que fazer certo e descobrindo o mais rápido possível o que está errado e ainda abandonando o que não dá certo o quanto antes são os processos que devem ser feitos visando as pessoas.

Por fim, e mais importante o pilar cultura, que preza em valorizar e sempre estar de acordo com o que você acredita. É importante entender que a cultura está acontecendo todos os dias. Assim, é possível trabalhar para apoiar e crescer e conseguir o que é almejado. É possível não fazer nada, mas o resultado que será alcançado será uma cultura caótica do ambiente. Manter a cultura de todas intenções para as pessoas com certeza é o maior desafio.

A sequência do evento contou com a palestra do Anderson Nielson, diretor Resultados Digitais. Segundo Nielson os resultados da RD mostram o alinhamento da cultura da RD e o alinhamento dos propósitos dos colaboradores e da própria empresa. Nielson convidou a todos a visualização do Culture Code da empresa, que é aberto para todas as pessoas e que está sempre em mudança, buscando o aprimoramento conforme novos integrantes fazem parte da equipe. Para ele o Culture Code é o conjunto de crenças e valores que acreditamos, praticamos e valorizamos!

Vale a pena conferir –> aqui!

A Terceira e última palestra do evento, teve a competência do Guilherme Paludetto, CEI da Fundação CERTI, na apresentação das missões e projetos da fundação como o Sinapse da Inovação, tendo como vista dar espaço para os novos empreendedores, que contam com a inovação para realizar sua empresa.

A partir do portal é possível conhecer as ideias premiadas do Programa que já está em três estados brasileiros! Está sem ideias? Dá uma espiada no site à http://sc5.sinapsedainovacao.com.br/

The following two tabs change content below.
Equipe de pesquisadores com foco na transformação do conhecimento de forma tangível e utilitária para a sociedade, governo e empreendedores, por medio de acciones de educación, investigación y educación. Atuamos de forma colaborativa e em rede, conectando pessoas e organizações ao nosso propósito.