Hong Kong 1990268

Cidades inteligentes e o futuro da vida urbana

Os desafios nas áreas urbanas para moradores, government, empresas e pesquisadores são crescentes, considerando o rápido aumento no fluxo de pessoas e a ausência de uma gestão eficiente de recursos em grande parte das cidades. Tais dificuldades se repercutem nas evidentes desigualdades, na baixa qualidade de vida dos cidadãos e na preocupação com o futuro dos ecossistemas urbanos. A geração de soluções parece ser mais lenta que o surgimento de novos problemas e aumento das situações críticas atuais.

O progresso tecnológico e a popularização da internet permitiu que soluções criativas e empreendedoras passassem a se fundir com o uso do espaço urbano pelos cidadãos, like the Waze app,,pt,Uber and Strava mobility and Booking Airbnb or the use of real estate and accommodation,,pt,Other solutions have become adapted by users for this purpose,,pt,as or WhatsApp,,es,the creation of tenants groups or neighborhood associations to discuss issues of common interest such as security,,pt,These solutions have impacted not only in the form of consumer services,,pt,but in order to relate to urban space,,pt,turning it into a more flexible and digital space,,pt,Less comprehensive way that applications,,pt,systems and platforms have been created by major technology companies,,pt,como IBM e Siemens,,en,to centralize and manage the data available in all urban spheres,,pt, Uber e Strava na mobilidade e Booking ou Airbnb no aproveitamento de imóveis e acomodações. Outras soluções passaram a ser adaptadas pelos usuários a essa finalidade, como o WhatsApp, na criação de grupos de condôminos ou associações de moradores para discutir questões de interesse comum como a segurança. Essas soluções impactaram não apenas na forma de consumo de serviços, mas na forma de se relacionar com o espaço urbano, transformando-o em um espaço mais flexível e digital.

De forma menos abrangente que aplicativos, sistemas e plataformas foram criadas por grandes empresas de tecnologia, como IBM e Siemens, para centralizar e gerenciar os dados disponíveis em todas as esferas urbanas, allowing public officials to decision making and future planning with better background and knowledge of reality,,pt,Examples of cities that use of these resources are Rio de Janeiro and Porto Alegre,,pt,Cities that have integrated technology in a coordinated and systematic way its management,,pt,a lesser or greater range,,pt,They came to be called "smart cities",,pt,conceptually,,pt,a smart city is a,,pt,innovative urban ecosystem,,pt,characterized by the widespread use of technology in managing their resources and infrastructure,,pt,ZYGIARIS,,la,NEIROTTI et al,,lv,Ideally,,es,smart cities are those that best realize the vision of the future in six dimensions,,pt,environment and quality of life,,pt. No Brasil, exemplos de cidades que se utilizam desses recursos são Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Cidades que integraram a tecnologia de forma coordenada e sistematizada a sua gestão, em menor ou maior escala, passaram a ser chamadas de “cidades inteligentes”. Conceitualmente, uma cidade inteligente é um ecossistema urbano inovador, caracterizado pelo uso generalizado de tecnologia na gestão de seus recursos e infraestrutura (ZYGIARIS, 2013; NEIROTTI et al, 2014). Idealmente, cidades inteligentes são aquelas que melhor realizam a visão de futuro em seis dimensões: economia, pessoas, governança, mobilidade, meio ambiente e qualidade de vida, It is built on a relevant combination of decisive action,,pt,aware of their independent and different actors,,pt,GIFFINGER,,en,GUDRUN,,en,This urban model is based on the significant investment in technologies to better manage urban life,,pt,simple alternatives originated in the community may be more effective in solving urban problems than the use of technology for public management,,pt,Some examples of citizen initiatives are,,pt,school Convex,,pt,for bringing people together for a common purpose in social transformation,,pt,for collective action to qualify public spaces in Florianópolis / SC,,pt,Operation Serenata de Amor,,pt,to audit public finances and fight corruption,,pt,my River,,pt, independentes e conscientes de seus diferentes atores (GIFFINGER, GUDRUN, 2010).

Esse modelo urbano é baseado no investimento significativo em tecnologias para melhor gerenciar a vida urbana. Porém, alternativas simples originadas na própria comunidade podem ser mais efetivas na solução dos problemas urbanos do que o uso de tecnologia pela gestão pública. Alguns exemplos de iniciativas cidadãs são: Escola Convexo para aproximar pessoas por um propósito comum em transformação social, Urban Traces Movement para ações coletivas para qualificar espaços públicos de Florianópolis/SC, Operação Serenata de Amor para auditar contas públicas e combater a corrupção, Meu Rio to inform and include the locals in decisions that define the future of the city,,pt,among other initiatives,,pt,it is emphasized that the technological resources are just one of several resources that can result in better economic sustainability,,pt,human and environmental in cities,,pt,the challenge for smart cities or seeking to become intelligent is to balance the technological infrastructure with the participation,,pt,engagement and training of citizens for innovative urban transformation,,pt,TO KNOW MORE,,pt,VIDEO,,pt,EBOOK,,en,via.ufsc.br/dowload-ebook-smart-cities/,,en,ARTICLE,,pt,Agatha,,pt,ELEUTHERIOU,,el,Vanessa,,en,Marcelo,,en,Human Dimension and the Future of Smart Cities,,en,V International Congress Creative Cities,,pt,Porto,,en,ACTAS ICONO14,,es,ASSOCIATION OF COMMUNICATION AND NEW TECHNOLOGIES,,es, entre outras iniciativas.

Thereby, ressalta-se que os recursos tecnológicos são apenas um dentre vários recursos que podem resultar em melhor sustentabilidade econômica, humana e ambiental nas cidades. Dessa forma, o desafio para as cidades inteligentes ou que buscam se tornar inteligentes é equilibrar a infraestrutura tecnológica com a participação, engajamento e formação dos cidadãos para a transformação urbana inovadora.

.

PARA SABER MAIS

REVISTA VIA: http://via.ufsc.br/wp-content/uploads/2016/10/revistaVIA-1ed.pdf

VÍDEO: http://via.ufsc.br/via-tem-tema-de-smart-cities-no-programa-consciencia/

EBOOK: http://via.ufsc.br/dowload-ebook-smart-cities/

ARTIGO: DEPINÉ, Ágatha; ELEUTHERIOU, Vanessa; MACEDO, Marcelo. Human Dimension and the Future of Smart Cities. In: V Congresso Internacional Cidades Criativas, 2017, Porto. ACTAS ICONO14. Madrid: ASOCIACIÓN DE COMUNICACIÓN Y NUEVAS TECNOLOGÍAS, 2017. v. 2. p. 947-956.

*By Ágatha Depiné - Master and PhD in Engineering and Knowledge Management of the Graduate Program in Engineering and Knowledge Management UFSC,pt. agathadepine@gmail.com

The following two tabs change content below.

Ágatha Depiné

Advogada dissidente e apaixonada pelo conhecimento. Dedica-se a pesquisar o direito à cidade, o protagonismo cidadão, o conhecimento político e sua relação com o desenvolvimento social e urbano inteligente. Cidadã engajada em movimentos sociais para transformação urbana. Doutoranda e Mestra em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela UFSC. agathadepine@gmail.com